quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Filosofando

De acordo com Josimar Melo (crítico gastronômico da Folha de São Paulo) "A gastronomia é uma aquisição. Uma vez assimilada, a pessoa não consegue se livrar dela, passa a ficar mais exigente e a buscar o prazer que a boa comida proporciona".

Isso tem se tornado uma verdade para mim a cada dia. Fico pensando em fazer antigas receitas, aquelas que você já fez mil vezes e que faz de olhos fechados e daí logo em seguida penso: "Mas esta receita eu já sei, quero um desafio, algo que nunca fiz" e lá vou eu para mais uma busca pelas páginas dos livros que tenho adquirido na área.

É quase insano. E depois que o blog começou a coisa ainda ficou pior (ou melhor, depende do ponto de vista), mas é que estou que nem esquimó que quer fazer gelo...sabe como é...ele não precisa mas acha tão bonitinho o resultado? Faço coisas que não preciso só pelo simples prazer de fazer, às vezes. Já tenho um bolo em casa, mas daí vejo uma receita de outro e quero fazer, daí fico com 2 bolos (que é um absurdo de comida só para 3 pessoas) e acabo congelando tudo...risos (pelo menos não jogo fora né Ana?)

Isso sem contar que ando me alimentando bem melhor depois que comecei a levar o negócio a sério e a fazer ginástica, coisa que nunca fiz regularmente na minha vida. Será que esta aquisição da gastronomia na vida da gente tem poderes curativos? ou modificadores? Começo a pensar seriamente no assunto.

E sei que não estou sozinha nesta. Tem cada vez mais gente adquirindo a gastronomia nas suas vidas e ficando exigentes como eu, o que eu acho ótimo, porque é mais gente para repartir os conhecimentos e as loucuras.
Loucura saudável pode né?
Eu espero que sim, e que não tenha cura.

Fim de "Julie & Julia" e outros livros

Acabei de ler o livro da Julie Powell hoje (Julie & Julia) e vou ser bem honesta.

Primeiro, não sei como era o blog dela, pois quem acompanha blogs culinários como eu, sabe que eles são bem legais e engraçados quando a gente participa deles frequentemente e se torna “amigo” dos donos dos blogs e o blog dela fazia muito sucesso na época, pela idéia inovadora, pelos palavrões que ela fala e piadas que faz e pelos insucessos confessados sem vergonha.

Mas o livro não é lá aquelas coisas, pois ele conta apenas alguns daqueles insucessos, misturados com uma espécie de diário da vida dela na época, sendo que, apesar de ser engraçado de tão trágico, pareceu muito um “Diário de Bridjet Jones”. Parecia que eu estava lendo o livro dela contando sua experiência de depois de casada, por exemplo.





Fiz outras aquisições também este mês muito boas.






1) O livro “Cozinhando para Amigos” , de Heloisa Bacellar,já era um desejo antigo e assim que o dinheiro deu fui lá e comprei e já o usei para fazer os 2 aperitivos para a primeira recepção aqui em Recife.
2) O livro “Bolos” , de Joanna Farrew, também é bem interessante, pois tem bolos tradiocionais, mas tem umas receitas bem diferentes que ainda preciso experimentar, por enquanto só fiz o de laranja com sementes de papoula que ficou uma delícia.
3) Por fim, o livro “A essência do sabor”, de Saul Gauvão, que traz só receitas feitas com papilote de papel alumínio. Este acabou de chegar e ainda não fiz nenhuma receita, mas parece interessante. Vamos ver...depois eu conto...

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Mousse de chocolate branco com maracujá.



No mesmo dia em que vi o programa da Nigella com a receita das pancakes, vi esta receita e sabia que teria que fazer, primeiro porque é lindo e segundo porque a Sarah (minha filha) ama mousse de maracujá basicão, imagina este então.

Receita simples - marca registrada da Nigella - e eu fiz só metade da receita porque já tinha feito o bolo hoje e deste jeito nem acordando 4 e meia da manhã para ia na academia todo dia eu ia acabar crescendo pros lados.

Na receita ela dá a sugestão de colocar framboesas no fundo do copo, com a mousse por cima, mas imagina que se já foi difícil achar as sementes de papoula aqui, imagine framboesa...nem tentei, mandei ver uns morangos que eu tinha aqui na geladeira e que fariam o mesmo efeito...eu acho.

A receita completa é assim:

Receita:
300g de chocolate branco derretido e banho maria
10 polpas de maracujá com sementes e tudo
6 gemas e 6 claras em neve

Preparo:
Misture o chocolate derretido numa vasilha com o maracujá e as gemas, mexendo tudo. Pegue 1/4 das claras em neve e mexa vigorosamente com o restante, e o restante só incorpore depois delicadamente.
Jogue tudo em taças individuais com morangos (ou framboesas) por cima e leve para a geladeira.

Bolo de laranja com sementes de papoula





Este bolo na verdade foi um parto, porque desde que comprei o livro (Bolos - da Joanna Farrow) e dei minha primeira folheada por suas fotos maravilhosas, fiquei apaixonada pela receita e, principalmente pela aparência do bolo de laranja com as sementes de papoula e logo resolvi que seria minha primeira experiência do livro. Pois é, mas não tardou para eu descobrir que em determinados lugares, como por exemplo em Recife, não se encontra estas sementinhas com esta facilidade e apesar de percorrer todos os lugares que eu conhecia aqui (pois ainda conheço poucos) não as encontrei. Cheguei a entrar no blog do Prato Fundo, pois lá tinha uma receita que também levava este ingrediente e o Victor (dono do blog) comentou que elas não tinham sabor algum, só a aparência mesmo e que poderia mandá-las para mim (aliás agradeço demais a gentileza).
Mas hoje eu estava num Pão de Açúcar comum da via, destes que já fui mil vezes desde que cheguei aqui, e como de costume, quando passei pela ala dos temperos, olhei de novo com aquela “esperança que é a última que morre” sabe? E não é que não é desta vez que ela morreu mesmo? Achei as benditas sementes de papoula e voltei toda feliz pra casa e me pus a fazer o bolo rapidinho. Não é difícil, apesar de que tinha um ingrediente que eles traduziram como leitelho, o que presumi que fosse leite, uma vez que nunca ouvi esta palavra na minha vida e já estava no meio da receita...mas depois que acabei e fui ver no wikipédia, "O leitelho ou leite de manteiga é o produto residual da transformação de leite integral em manteiga". Continuo sem saber o que é (me esclareça quem puder ou quiser) mas confesso que o bolo ficou uma delícia com o leite na mesma medida.
Outra coisa é que na receita dizia 45 min de forno a 160 graus e meu bolo demorou cerca de 1 hora e 10 min, deve ser a diferença da consistência do leite para o tal do leitelho.
Olha que coisa linda!!!




Ah!! Estão vendo as raspas de laranja, estreei minha mais nova "ferramenta" - meu Zester Cuisipro que funciona que é uma beleza.




E a minha "mini-cobaia" (a fofa da minha filha) amou o bolo com, como disse ela, "carrapato"...risos.





Receita:
300g de farinha de trigo com fermento
150g de manteiga sem sal amolecida
250g de açúcar
3 ovos batidos
3 colheres de sopa de sementes de papoula
raspas da casca e suco de 2 laranjas (aqui eu adaptei a quantidade)
1 colher de chá de fermento em pó
250 ml de leite (na receita pede o leitelho)
glacê para cobrir opcional

Preparo:
Unte uma forma de biraco no meio com manteiga e polvilhe com o trigo. Pré-aqueça o forno.
Bata a manteiga com o açúcar até formar uma mistira leve e fofa. Aos poucos acrescente os ovos, batendo sempre.
Sem bater, misture as sementes de papoula, as raspas da casca de laranja e metade do suco.
Peneire a farinha e o fermento e use uma colher de metal para misturar os ingredientes, até a massa estar homogênea. Coloque na forma e leve ao forno em temperatura de 16o graus (na receita pede 45 min, o meu levou 1 hora e 10 min.).
Deixe amornar e desenforme. Jogue por cima o suco da outra laranja e o glacê.

domingo, 27 de janeiro de 2008

Pancakes da Nigella

Sempre fui uma apaixonada por pancakes. Tudo começou quando o Fé foi fazer intercâmbio de 3 meses em Boston, pouco antes da gente se casar e voltou com uma receita da mãe americana dele para fazer pra mim, pois sempre que eu via um filme que se faziam aquelas pilhas de pancakes com xarope em cima eu quase morria.

Ele fez para mim aquela receita e nunca mais dei sossego para ele, porém sempre achei que aquela receita poderia ser melhor, pois a massa era bem pesada e ficava meio borrachuda.

Há uns 10 meses fui num evento de trabalho num hotel em Mogi das Cruzes e tinha um funcionário do hotel fazendo na hora pancakes para o café da manhã. Fazia uma receita básica que servia para complementos doces ou salgados. Confesso que sou louca num salgado e ele me despejou a massa na frigideira junto com mussarela e tomate e fritou...comi uma 3 de tão boa.

Então ontem estava vendo TV e estava passando o programa da Nigella de Verão (ela na casa de praia) e ela fez uma receita de pancakes com ricota que era super fácil e parecia bem leve. Corri para pegar o caderno e a caneta a anotei a receita já pensando que seria ótimo tomar café com pancakes no domingo. Feito...

Acordei hoje empolgadíssima, por este e por outros motivos (risos) e fui para a cozinha. Eu fazia as pancakes e o Fé tirava as fotos (ele é bem melhor nisso do que eu) e vejam o resultado.




Receita: (rende 10 pancakes pequenas)
250g de ricota amassada com um garfo
125 ml de leite
2 gemas
100g de farinha de trigo
1 colher de sobremesa de fermento em pó
2 claras em neve batidas na mão mesmo (molinhas)

Preparo:
Misture tudo com uma colher e incorpore as claras. Frite numa frigideira sem untar (não precisa passar nada na frigideira, o que é o máximo pois não fica aquela coisa engordurada e não gruda. Depois é só enfeitar à gosto. Eu fiz como a Nigella...com morango e mel.


Receitas da recepção de ontem

Coloquei tudo que havia feito na recepção de sexta e estava devendo as receitas para vocês, então vamos lá.

- Tomatinhos recheados com queijo cremoso e ervas (Cozinhando para Amigos - Heloisa Bacellar)
Ingredientes:
36 tomatinhos cereja
200 g de queijo cremoso (cream cheese, ricota)
1/2 xícara de uma mistura de salsinha, cebolinha e manjericão picadinhos
azeite de oliva
sal e pimenta do reino

Preparo:
Forre um prato com papel absorvente. corte as tampinhas dos tomates e retire as sementes, colocando eles de cabeça para baixo no papel para escorrer (reserve as tampinhas)
Misture o queijo com as ervas, um fio de azeite e sal e pimenta à gosto.
Recheie os tomatinhos com a ajuda de uma colherzinha e coloque as tampinhas e leve para a geladeira até a hora de servir.


- Pasta de Pimentão vermelho adaptado do livro Cozinhando para Amigos - Heloisa Bacellar
Ingredientes:
2 pimentões vermelhos
1 dente de alho moído
200g de ricota fresca
azeite de oliva
sal
pinoles

Preparo:
Aqueça o forno a 180 graus, coloque o pimentão numa assadeira não untada e asse por uns 40 minutos, até a pele escurecer e se soltar da polpa.
Tire o pimentão bem quente e coloque dentro de um saco plástico fechado e deixe esfriar.
Abre o saquinho depois que o pimentão estiver frio e tire toda a pele do pimentão, que se solta facilmente. Abra e retire as sementes e os filamentos.
Numa panela aqueça um pouco e azeite e doure o alho e o pimentão só uns 5 minutos, até soltar o aroma.
Coloque tudo no liquidificador com a ricota e o sal e mais um pouco de azeite se for preciso para bater até formar uma pasta.
Coloque para gelar.
Eu acrescentei depois um pouco de pinoles tostados numa frigideira só para enfeitar.


- Antepasto de beringela
Ingredientes:
2 beringelas picadas em tirinhas bem fininhas (com casca)
2 cebolas picadas em rodelas
1 vidro de azeitonas picadas
sal e pimenta do reino
vinagre
azeite

Preparo:
Numa vasilha coloque toda a beringela. Uma camada com a cebola em rodelas por cima. Outra camada de azeitonas. Salpique sal e pimenta por cima de tudo. Regue tudo com 1/3 de copo de vinagre e 2/3 de copo de água e por fim regue com 1/2 xícara de azeite. Coloque no forno por cerca de 1 hora e 1/2 ou até que murche e fique na textura desejada. Abra de vez em quando para mexer a mistura. Isso faz com que a parte de cima fique molhada no vinagre e no azeite. Deixe esfriar e sirva com torradas, pão ou numa salada.


- Coalhada
Ingredientes:
4 potes de iogurte caseiro ou comprado pronto (iogurte natural)
cebolinha picada
sal e pimenta do reino

Preparo:
Pegue os 4 iogurtes e coloque para pingar e tirar todo o soro. Você pode usar um "dessorador" que eu tenho um da Top Therm, mas que não gosto muito pois deixa a coalhada muito líquida, ou usar uma fronha de travasseiro branca, própria para isso e lavada aenas com água, sem sabão. Se usar a fronha basta colocar o iogurte lá dentro e amarrá-la na torneira da pia e deixar pingar por cerca de 6 horas, depois é ´so tirar numa vasilha e temperar com sal e pimenta e misturar a cebolinhas fresca picadinha e gelar.

- Cenoura no suco de limão
Ingredientes:
1 saco de baby carrots (aquelas cenourinhas pequenas)
suco de 2 limões
água e sal

Preparo:
Corte as cenouras no sentido do comprimento em 4 partes (como palitinhos) e coloque num copinho, de pé.
Despeje por cima o suco de limão com um pouco de água e sal para temperar. Sõ ótimas para comer pura ou com os patês servidos.


- Doce de abóbora com coco
Ingredientes:
1 pedaço grande de abóbora (1/4 dela) cortado em cubos pequenos
1/2 Kg de açúcar
cravo da ìndia
Coco ralado (de preferência natural)

Preparo:
Coloque a abóbora picada e o açúcar numa panela em fogo baixo e deixe até o açúcar derreter e começar a borbulhar e daí acrescente um punhado de cravo da índia (se não gostar pule esta etapa). Quano a abóbora começar a amolecer pegue um fouet e vá amassando os pedaços na panela para o doce começar a se desmanchar e ficar na consistência desejada.
Misture o coco ralado e deixe ferver mais um pouco para pegar o sabor. Coloque nas vasilhas e polvilhe um pouco de coco por cima para decorar.

sábado, 26 de janeiro de 2008

Primeira recepção de 2008 e de Recife

Apesar do ap. ainda não estar pronto (e olha que falta bastante coisa), eu e o Fé resolvemos dar uma festinha aqui em casa para inaugurar oficialmente a vida nova, chamamos 3 casais de amigos: 1) Claudio e a Claudia (o Claudio trabalha com o Frederico desde Sorocaba); 2) Gugu e Ana Paula (nossos amigos de Guará que também vieram para Recife este ano; 3) Antonio e Flavia (nossos vizinhos).









Passei o dia anterior pesquisando o que ia fazer (tinham que ser petiscos, pois a mesa de jantar não chegou ainda), de manhã fui ao supermercado comprar os ingredientes e lá fui eu para a cozinha, fazer algumas coisas que já tinha feito antes e outras inéditas.

Então vamos ao cardápio super variado:
1) As bebidas foram wisky, vinho tinto (Concha y Toro), vinho branco (Black Tower), Smirnoff Ice e água Perrier, além de uma Amarula no final.



2) Do livro Cozinhando para Amigos (aquisição nova) fiz os tomates cereja recheados e o patê de pimentões vermelhos, que incrementei por minha conta e risco com pinoles (e que adorei).



3) Antepasto de berinjela




4) Coalhada seca temperada




5) Cenouras no suco de limão

6) Tábua de queijos (brie, camembert, masdam e parmesão)




7) Castanhas de caju (que ganhamos do Antonio e da Flavia)

8) Grissinis, bolachas e torradas




9) E de sobremesa tinha doce de abóbora e pastilhas de chocolate Belga.




Coloco as receitas aqui amanhã.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Desafio do bolo de chocolate e resultado do sorvete de creme





Vocês que estão sempre no site já me ouviram falar da Ana Elisa, que também tem um blog sobre suas peripécias na cozinha como eu e do qual gosto muito (está no meu preferidos - La Cucinetta). Pois ela comprou um livro de doces da Pierre Hermé e já testou 3 receitas, sendo que não teve sucesso em nenhuma, coisa rara pois ela é boa no ofício, risos, o que a deixou muito brava, assim como alguns dos leitores do seu blog que já passaram pelo mesmo com o bendito livro.

Pois é, o último "insucesso" foi um bolo Suzy (de chocolate) e ela lançou um desafio, ou pedido, para que as pessoas fizessem a receita assim como ela para ver se dava certo pois ela estava indignada com o livro.

Eu fiz agora de manhã e não foi traumático, apesar de que eu estava com medo, pois fazer uma receita que já se sabe que tem grandes chances de não dar certo...fala sério, mas a TPM continua e a vontade de comer bolo de chocolate quente me perseguia desde que vi as fotos do bolo dela...fui com a cara e a coragem.

Bom Ana, você tinha razão em uma coisa na receita, a história da colher de pau no forno entreaberto não rolou aqui, porque meu forno já é lento e daquele jeito ia demorar umas 3 horas para o bolo assar, se é que ia assar, então fiz com o forno fechado e só coloquei a colher de pau no final, quando estava quase pronto, para rachar a parte de cima que estava começando a rachar e achei que o friozinho que entrava pela fresta do forno poderia ajudar no processo.

Outra coisa que você tinha razão é que a receita manda assar 25 min...mas precisei do triplo disso, pois com 25 min o bolo ainda estava como na batedeira...totalmente cru.

Então foi isso, fiz a receita exatamente igual a sua e do “maledeto” livro...risos, e deu certo, a não ser pelo tempo para assar. Outra experiência que fiz foi colocar uma parte da massa em 3 forminhas de muffin para ver o que acontecia e estes sim ficaram prontos em 25 minutos, pois são menores, e ficam por dentro com uma consistência de pudim...bem cremoso. Como eu tinha feito o sorvete de creme ontem, que deu certo desta vez e está uma delícia, coloquei uma bola de sorvete junto com o bolo quente e parecia quase um petit gateau adaptado, uma delícia.




Quanto ao momento de desenformar...desenformei quente como você disse e ele saiu perfeito, sem problemas, e não usei papel manteiga. Só não cresceu tanto quanto o seu, e para isso não tenho explicação.



Vou colocar a receita tal qual copiei do site da Ana, mas considerem meus cometários sobre o tempo no forno.



BOLO SUZY(Literalmente copiada do livro Larousse do Chocolate; receita de Suzy Peltriaux para Pierre Hermé)

Tempo de preparo: 37 minutos

Rendimento: 6 a 8 fatiasIngredientes:
250g de chocolate amargo em barra com 60% de cacau (ou meio amargo)
250g de manteiga em temperatura ambiente + 15g para untar a forma
4 ovos
220g de açúcar
70g de farinha de trigo + 10g para polvilhar a forma


Preparo:
Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Pique o chocolate com uma faca serrilhada e coloque numa panela para derreter em banho-maria. Bata os ovos com o açúcar. Incorpore a manteiga previamente derretida e, em seguida, o chocolate derretido. Peneire a farinha e acrescente à massa.
Unte uma forma com 22cm de diâmetro e polvilhe com a farinha. Despeje a massa na forma, leve ao forno e deixe assar por 25 minutos. Mantenha a porta do forno entreaberta, calçada com uma colher de pau.
Retire o bolo do forno e desenforme. Deixe esfriar antes de servir.
Usei margarina Becel, chocolate amargo da Arcor, farinha Dona Benta e açúcar cristal.


Aqui vai a receita do sorvete de creme

Receita:
3/4 de xícara de açúcar
1 pitada de sal
1 3/4 xícara de leite integral
2 ovos graúdos batidos
1 e 1/2 xícara de chantilly
1 colher de chá de extrato de baunilha

Preparo:
Numa panela misture o açúcar, o sal e o leite e deixe ferver em fogo médio mexendo de vez em quando. Passar para o fogo baixo.
Numa vasilha bata os ovos e coloque metade do leite que ferveu, misture e volte tudo para a panela e cozinhe em fogo médio até engrossar (uns 3 minutos). Retire do fogo e refrigere até esfriar. Quando estiver frio, acrescente o chantilly e a baunilha. Ligue a sorveteira e vá despejando a mistura pela abertura da tampa. Congele até chegar a consistência desejada ou até a sorveteira desligar.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

TPM e a fome incontrolável - Macarrão com camarão



Realmente não sei o que acontece com nossos hormônios quando estamos naqueles dias, mas sei que tem uma fome e uma vontade de só comer o que engorda que se apodera de mim, a ponto de quase ter que chamar um exorcista...sem exageros.

Acordei hoje com uma fome incontrolável que só foi esquecida momentaneamente porque tinha avaliação física na academia e não podia comer demais antes de ir, então enganei com uma banana amassada com aveia.

Mas logo em seguida meus neurônios já começaram a tramar planos mirabolantes para eu colocar em prática no decorrer do dia. Como acabei de contar no outro blog, meu sorvete de creme estava lá na sorveteira e acabei de colocá-lo no freezer para ver no que é que deu...mas ainda vai demorar. Então fui fazer o jantar e lembrei que tinha comprado uns camarões maravilhosos (como é barato aqui) e resolvi improvisar um macarrão com o que tinha por aqui, então fiz um penne e numa panela separada frittei ums alhos amassados no azeite, coloquei os camarões e champignons e deixei cozinhar, secar a água e dourar tudo. Joguei por cima do macarrão cozido e coloquei parmesão ralado por cima. Simples, mas muito gostoso. Não sou uma J.R. Duran da culinária, mas acho que dá para ficar com água na boca olhando a foto que tirei do macarrão hein?




ps: estou na dúvida se faço o bolo da Ana Elisa agora ou amanhã...já comprei os ingredentes, mas gosto de bolo quente e comer bolo quente de madrugada (pois até ficar pronto vai demorar) não vai fazer bem para meu IMC (índice de massa corporal para os leigos em dieta...haha). Então faço amanhã de manhã sem falta.

Eu me rendo...SORVETEIRA



Eu me rendi e fui logo na loja comprar a famosa sorveteira. Não aguentava mais de vontade de fazer uns sorvetes com o calor que faz nesta terra, e por incrível que pareça, eu que fui a vida toda indiferente a esta sobremesa, tive laricas enormes desde que cheguei aqui. O calor e a TPM mexem mesmo com a cabeça da gente.

Enfim, depois de muito procurar ao vivo e à cores, pois não queria comprar pela net para não ter que esperar para começar, comprei o modelo da Hamilton-Beach (que foi a única que encontrei) na Polishop.

Logo que cheguei em casa já fui vendo o qu precisava para fazer um sorvete básico de creme no manual da própria sorveteira, uma vez que não tenho nenhum livro de receitas de sorvetes. Fui correndo no supermercado da esquina e comperi tudo, inclusive duas versões diferentes para se fazer chantilly (que pedia na receita), pois não sabia qual ficaria melhor. Então comprei um creme de leite fresco e o "ordinário", mas famoso e fácil Chantineve. Como li no manual que o balde tinha que ficar no congelador 24 horas antes de ser usado, quando fui fazer o sorvete a minha ansiedade já estava a mil e optei pelo chantineve que seria mais rápido. Como é mesmo o ditado? "Quem paga mal, paga duas vezes"? Pois é, no meu caso foram 3 vezes até gora, pois o chantineve bichou, apesar de eu nunca ter errado fazer um chantineve na vida (o que não tem como errar) e ter cheirado o leite, sei lá o que aconteceu, mas o bicho não virou chantilly nem por um decreto.

Daí quase me matei de ansiedade e coloquei o creme de leite fresco no congelador com o açúcar para gelar e fazer o segundo chantilly, que assim como o primeiro fracassou. Assim que experimentei o cheiro e sabor da mistura vi que tinha algo errado, aprecia azedo, apesar de estar gelado e dentro da data da validade.

Minha gente, esta terra é QUENTE e fazer estas coisas que necessitam de frio é meio complicado, tenho que confessar. Fiquei p da vida, pois tinha gastado uma grana na sorveteira e não tinha conseguido fazer nada.

Ok, 5 dias depois e mais conformada hoje pensei, vamos começar tudo de novo..."Meu nome é Fernanda, o seu chantilly, vamos ser amigos?". Pelo jeito desta vez ele aceitou e o chantilly foi (coincidência ou não hoje estava chovendo em Recife...hahaha). Por fim fiz tudo e agora a mistura está lá...mexendo para lá e para cá naquela máquina e só vou saber se ficou bom amanhã...ou hoje, depois que fizer a receita de bolo de chocolate famigerada que a Ana Elisa lançou o desafio no site dela (conto esta história depois) e ver se fica bom com o sorvete...Quem sabe?

Enquanto isso olhem a foto da minha aquisição já batendo o meu sorvete.

terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Praia de Muro Alto e muita fome - Rocambole de carne moída



Este sábado fomos conhecer mais uma praia na nossa saga de conhecer tudo que está ao redor de Recife e passamos uma manhã e começo de tarde maravilhosos na praia de Muro Alto (do lado de Porto de Galinhas) e apesar de sempre comer algo na praia, estava ansiosa por uma comida de verdade há tempos, uma vez que a sopa de feijão foi uma emergência para um dia sem geladeira, mas agora não...está tudo em ordem na cozinha.

Então voltando da praia fomos ao supermercado e começamos a pensar no que fazer para o almoço, quando vi a carne moída e pensei..."ai que saudade do rocambole de carne moída"...foi o suficiente para escolher o menu.

Comprei tudo e lá fui eu para casa caprichar na comida enquano o Fê e a Sarah tomavam seu banho. O Fê resolveu colocar a mesa na varanda para aproveitar a vista e foi demais...fiz um arroz super temperadinho com alho e o rocambole de carne moida recheado com MUITA mussarela e assado com tomates cerejas e mini batatinhas temperados.

Na verdade as mini batatinhas foram feitas no dia anterior e coloquei o que havia sobrado aqui e ficou demais.

O rocambole é super simples de fazer pois apenas misturo 1/2 Kg de carne com 1 envelope de pó para sopa de cebola (desta vez não achei o de cebola e usei de queijo com calabresa), depois é só abrir com a mão, colocar o queijo dentro e enrolar.

As batatinhas eu fiz numa travessa, um dia antes, "besuntadas" de uma mistura de sal, pimenta, azeite e vinagre balsâmico. Na mesma travessa coloquei 2 metades de uma laranja e 2 metades de um limão de cabeça para baixo e assei. Quando tirei do forno espremi o resto do suco por cima de tudo e misturei...fica maravilhosa. (Receita adaptada do Oliver)

Restaurante Ilha da Kosta (Recife)

Existe um lugar aqui em Boa Viagem que é uma delícia, não só pela proposta como pela comida, por causa da variedade. Coloquei Ilhas lá no título porque na verdade numa só rua temos 3 restaurantes, independentes mas interligados, que funcionam cada um com um tipo de serviço, sendo que estando em um deles você pode usufruir do cardápio de qualquer um dos três.

Ilha do Guaiamum - tipo barzinho com público jovem e ao ar livre (mas coberto). Serve a la carte e tem muita coisa boa...comi o camarão alho e óleo, mas tem muita variedade.

Ilha do Kosta - Anexo ao outro tem uma farta mesa de frios, camarão, molhos, saladas e você pode se servir. Aqui o sistema é "por peso".

Ilha do Sushi - anexo fechado com ar condicionado e decoração oriental onde você encontra as mais variadas opções de comida oriental.

Ainda na mesma rua acabaram de abrir a Ile de Crepe, que ainda não fui visitar mas escrevo contando assim que estiver por lá, e uma rua mais para a frente ainda tem o Ilha Burguer que faz um hamburguer razoável. E eu não sei onde fica, mas já liguei um dia para o disk pizza deles e a pizza é uma delícia, ou seja...não tem nada que os caras não façam. O atendimento é bom, a comida é boa e está sempre cheio.

Vale conferir com certeza.

Para mais informações: http://www.ilhadakosta.com.br/

Restaurante Boteco (Recife)



Boteco...o que dizer...é bem parecido com o Copo Americano no que diz respeito ao esquema de rodízio de pratos, sendo que a diferença é que: 1) o lugar é bem frequentado por turistas pois fica no meio da Av. Boa Viagem; 2) o tipo de comida servido é diferente...aqui temos mais salgados do tipo quibe, cozinhas enormes, empadas e outras coisas.

A comida é uma delícia e o lugar bem gostoso, aberto e de frente para a avenida e m lembra aqueles botecos antigos mesmo...bem cariocas...que você vê nas fotos de om Jobim e Vinicius em preto e branco sabe? Isso sem contar que o chopp de lá é maravilhoso.

O Boteco foi uma das primeiras casas da cidade da nova safra de bares que seguem o estilo dos botequins cariocas de décadas passadas. No 1º piso funciona um sushi-bar. A casa tem filiais em Fortaleza, Belém, Campina Grande e Aracaju.

O atendimento, como de costume, não é 100%. Muitos garçons mais velhos como pude perceber, que apesar de serem boas pessoas são devagar para um bar de turistas em sua maioria paulistamos e acostumados com o serviço de lá, mas nada alarmante.

domingo, 20 de janeiro de 2008

Restaurante Copo Americano (Recife)

Este é outro lugar que já fomos 3 vezes, por várias razões.

1) é perto de casa e num ambiente aberto e fresquinho
2) a comida é muito boa
3) os garçons são umas figuras
4) o preço é bom

O lugar fica mais para dentro de Recife, fora do circuito dos turistas e por isso é tranquilo, apesar de estar sempre cheio e bem família. Lá funciona diariamente um esquema de rodízio, mas esqueçam o rodízio de carne ou de pizza que vocês estão acostumados. Lá tem rodízio de quase tudo, e eu não estou exagerando. Há pratos que são regulares por serem muito bem aceitos, mas há outros que variam de acordo com o dia, pois já fomos 3 vezes e sempre tem um monte de coisas que não tinha da última vez...vejam alguns exemplos do que está no rodízio: carnes, saladas, pizzas, salgadinhos (cozinha de charque, espetinho de camarão, camarão empanado), acarajé, caldinho de feijão e de frutos do mar, arroz piamontês, estrogonofe, casquinha de siri, cebola recheada com charque, e mais um monte de coisas que nem lembro mais...dá para comer a noite toda sem repetir nenhum prato.

O preço é 15,90 por pessoa mais as bebidas...acreditam?
Este vale a pena conhecer e repetir.

Restaurante Oficina do Sabor (Olinda)

Oficina do sabor é um restaurante famoso em Olinda pelos seus pratos regionais e pelo que vi pelas celebridades que o frequentam. Fomos lá 3 vezes desde que chegamos aqui e na primeira vez o Alceu Valença estava lá, da segunda vez foi um dos integrantes do Paralamas do Sucesso, mas o local é bem aconchegante e de certa forma simples.

Uma fachada bem do tipo daquelas casinhas que são patrimônio histórico...bem colorido e do lado de dentro temos 2 andares de mesas e decoração super coloridos e com uma vista linda de Recife.

O atendimento poderia sem melhor, pois das 3 vezes não vi um sorriso no rosto dos garçons, todos muito emburrados e sérios e muitas vezes pedimos algo, como uma pimenta ou um copo com gelo que não vinha e tínhamos que pedir 2, 3 vezes.

Apesar disso a comida vale demais, o cardápio é bem variado e já comemos vários pratos lá (Penne cm camarão e queijo fundido, os pratos kids, charque com jerimum). E o restaurante faz parte da Associação dos Pratos da Boa Lembrança.

Além de todos os pratos salgados maravilhosos, tenho que dar destaque para 2 coisas que comi e bebi e que estavam dos deuses: 1) Caipiroska de Tangerina; 2) Bolo de chocolate com sorvete de creme.

Falando assim parece uma sobremesa comum, mas confesso que faria qualquer coisa por aquela receita de bolo...hahaha.

Para quem quiser saber mais entre no site deles.
http://www.oficinadosabor.com.br/

Muffin Mocca



Logo que chegou a geladeira lá fui eu fazer um muffin, estava com saudade de comer um bolo quentinho e caseiro.

Escolhi mais uma receita de Muffins Moca do “Le Cordon Bleu – Receitas Caseiras Muffins” e mandei ver. A receita, assim como qualquer receita de muffin que eu já fiz, é bem simples, mistura-se secos peneirados, buraco no meio e mistura-se os molhados com uma colher de metal...nada absurdo. Rápido, fácil e gostoso.
Esta receita porém não ganhou todas as estrelas no item gostoso por um simples motivo, a receita vai açúcar mascavo, fato que não tenho nada contra, porém o muffin depois de pronto parece que nunca viu açúcar na vida...super amargo. Não que seja ruim, não é, pois o sabor de café é bem gostoso, mas era amargo para o meu paladar, o que me fez ter a idéia de polvilhar açúcar por cima dele para enfeitar e adoçar...daí sim, ficou bom demais e comemos tudo aqui em casa...só sobraram 3 para eu congelar com muito esforço.



Receita:
375 ml de leite
1 colher de sopa de café instantâneo
200g de farinha de trigo com fermento
200g de farinha de trigo sem fermento
4 colheres de sopa de cacau em pó
115 g de açúcar mascavo
2 ovos levemente batidos
160 g de manteiga sem sal derretida

Preparo:
Pré-aqueça o forno a 210 graus. Unte 16 formas de muffin com óleo.
Aqueça o leite em fogo médio, sem deixar ferver. E adicione o café instantâneo. Mexa até estar bem dissolvido e separe.
Peneire as farinhas e o cacau dentro de uma vasilha grande, misture o açúcar e faça uma cova no centro.
Deite o leite com café, os ovos e a manteiga na cova e mexa com uma colher de metal até o ingredientes estarem combinados. Não mexa demais – a mistura deve ficar cm grumos.
Encha as forminhas até ¾ da capacidade. Coloque no forno por 20 minutos ou até que estejam assados. Deixe o muffin nas formas por 5 minutos e depois desenforme sobre uma rede, deixando esfriar antes de decorar.

Eu voltei, agora prá ficar, porque aqui é meu lugar - SOPA

É gente, apesar de estar usando a internet cedida pelo meu vizinho ainda, pois a nossa só vai ser instalada esta semana, finalmente minha cozinha está no lugar, móveis instalados e fogão e geladeira chegaram, e assim acabei com a minha síndrome de abstinência e fui correndo fazer algumas delícias.

O começo foi bem simples, porque o fogão estava aqui mas a geladeira ainda não, então eu tinha que fazer uma comidinha que não precisasse de nada gelado e que não sobrasse para guardar na geladeira depois. Apesar do calor de Recife, semana passada só choveu por aqui e então, além de acabar com a síndrome de abstinência culinária de quem vos escreve...risos...eu acabei com a da Sarah também (minha filha) e fiz sopa de feijão.

Comida muito simples como já disse, mas depois de 2 meses num flat e comendo miojo...parecia caviar.
Sopa de feijão com suco de morango natural...foi o máximo.







Receita é meio absurdo de passar, porque cada um faz sopa de um jeito, mas basicamente cozinhei o feijão como de costume e temperei depois de cozido com cebola, alho e bacon fritinhos.
Pus uma quantidade de feijão no liquidificador com um pouco de água e bati.
Voltei a mistura para a panela e fervi com um pouco de sal e quando ferveu adicionei o macarrão de sopa para cozinhar.
Difícil hein...

segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Restaurante Frida (Recife)

Do lado do Pomodoro café tem um restaurante estilo mexicano chamado Frida que fomos em outra ocasião. O lugar pe bem mais amplo que o Pomodoro e a decoração é bem característica e impecável, um lugar agradável aos olhos.
O atendimento também é muito bom lá, porém não achei a comida maravilhosa, tenho que confessar. Pedimos 3 tipos de pratos diferentes...tacos, nachos e burritos, porém apenas os tacos me fizeram repetir, estavam saborosos, mas os outros deixaram a desejar do quesito tempero. Os nachos não tinham gosto de nada e os molhos que o acompanhavam também não eram uma BRASTEMP como diria a propaganda...
Com certeza vou lá outra vez experimentar outras coisas e ver como me saio de próxima vez.
Não achei site do restaurante para deixar para vocês.
Mexicano MEIO APROVADO...risos

Pomodoro Café (Recife)



Tô me achando né? Mas o negócio é o seguinte...se eu não posso cozinhar por falta de cozinha...então estou comendo fora e pensei em fazer uma descrição dos restaurantes qui ando visitando...afinal já vi bastante coisa por aqui e quem quiser passear para estes lados já tem um lugar para consultar além do guia quatro rodas...hahaha.

Na primeira semana, quando estive aqui para procurar apartamento, era meu aniversário, e sabendo da minha paixão por comida italiana o Frederico me levou num restaurante chamado Pomodoro Café, que apesar de ter café no nom, é apenas um restaurante mesmo. Surpreendente, pois fica numa rua não muito badalada, no final de Boa Viagem, já quase na Agamenon Magalhães, o lugar é bem pequeno, e quando você entra tem poucas mesas num ambiente bem aconchegante, com uma luz fraquinha e atendimento muito bom.
As louças são uma delícia à parte, pois não possuem um jogo de jantar padronizado e sim pratos deferentes uns dos outros que parecem terem sido garimpados pela vida à fora...amei.
Comemos um couvert que estava bem saboroso, apesar de simples e tomamos um vinho (eles tem para todo gosto).
Mas a comida...minha gente...foi demais.
Pedimos uma massa com molho quatro queijos com um filé mignon ao ponto...meu preferido sempre...e estava MUITO BOM, a massa muito bem feita, com um molho bem encorpado, sem ser enjoativo e o filé estava perfeito.
Tenho que dizer que o prato individual, depois do couvert e do vinho, foi demais para mim, pois a porção é bem grande e não aguentei comer tudo, apesar de querer veementemente...risos.
Mas foi uma noite agradável demais. Italiano APROVADO.
Quem quiser dê uma olhadinha no site deles
http://www.pomodorocafe.com.br/

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

Olá do Recife

Amigos, mil desculpas pelo sumiço, mas estou me mudando de Estado e enquanto não acho apartamento estou num flat, sem internet e sem cozinha para fazer meus pratos...ai que sofrimento, mas a boa notícia é que amei um ap hoje e acho que semana que vem já estamos instalados lá...até ligar net...fogão e tudo mais devo demorar ainda uns 10 dias para colocar uma receita por aqui, mas prometo que vai compensar a espera...vou caprichar, ok?
Ah...esqueci de contar...o ap fica na esquina de um supermercado...esquina mesmo...para ir a pé...isso é ótimo para quando quiser fazer algo que não tenho ingredientes.
Aguardem.