quarta-feira, 30 de abril de 2008

Dia do cheesecake, meu cheesecake é de amarula.

Hoje é o dia de postar as receitas de cheesecake do desafio e durante todo o dia vou atualizando aqui quem participou para todos poderem ir vendo o que deu e não deu certo nas receitas. Logo de cara a Filipa me mandou a receita dela e disse que gostaria que tivesse ficado um pouco mais duro e vocês vão ver que o meu eu queria que ficasse um pouco mais mole...risos. Já começou a troca. Espero que todos gostem e façam um cheesecake dos sugeridos.


A história deste cheesecake realmente foi um desafio, ou melhor, uma saga. Resolvi propor o desafio do cheesecake, porque tinha comido um cheesecake maravilhoso em um café em Maceió e queria trocar experiências com todos para achar um tão bom quanto, pois aquele era divino. Assim que propus este desafio, 3 dias depois para ser mais exata, comprei uma revista de receitas portuguesa (Blue Cooking) que sempre compro na Livraria Cultura e minha surpresa...lá tinha uma receita de cheesecake super diferente, de Amarula, pela qual me apaixonei...e escolhi então, dia 04/04 a receita que faria, porém eu estava sozinha em Recife com a minha filha aquele mês e fazer um cheesecake inteiro só para nós duas era exagero...como eu sabia que iria para a casa dos meus pais no fim do mês (e antes de acabar o prazo do desafio), resolvi esperar para fazer lá...levei a revista e tudo com a receita.

Ok, eu tinha esquecido que em cidade grande como Recife tem dia que a gente não encontra um determinado ingrediente, imagine em cidade de interior então...este foi meu erro. Cheguei em Guará e me dei conta de que não ia achar mascarpone em lugar nenhum...a receita também pedia creme de leite fresco e gelatina em folha...coisa que procurei em todos os supermercados e, podem achar absurdo e rir à vontade, mas não tinha...o creme de leite fresco tinha acabado e só tem um fornecedor que só entrega de final de semana (não dava para esperar) e a gelatina em folha não tinha. Resolvi não desistir, então troquei o mascarpone por catupiry (foi a consistência mais próxima que achei que teria) e coloquei um pouco mais de açúcar para compensar, troquei o chantilly fresco por chantimix (ai, não gritem, o desafio acho que foi fazer tudo com ingredientes errados desta vez...risos) e troquei a gelatina em folha pela em pó.


Todas as substituições não me decepcionaram nem um pouco, o sabor ficou incrível, mas tive só um probleminha...não sabia a quantidade de gelatina em pó que seria equivalente à folha, então como pedia 3 folhas, coloquei 3 envelopes da gelatina em pó e aí foi ruim...porque apesar do gosto ter ficado uma delícia, ficou um pouco mais duto do que eu queria (2 envelopes teriam sido suficientes) e por isso um pouco seco, mas o resultado final me agradou sim e vou fazer de novo uma outra vez com 2 envelopes de gelatina para testar.

Receita:
200g de bolacha maisena
100g de manteiga derretida
2 gemas de ovo
35g de açúcar (coloquei 50g para compensar o sabor mais salgado do catupiry)
125g de mascarpone (que substitui pela mesma quantidade de catupiry) 250g de cream cheese
3 folhas de gelatina sem sabor (usei 3 pacotinhos da em pó e foi DEMAIS)
1 colher de chá de café instantâneo
100ml de amarula 300ml de creme de leite fresco (que substitui por mistura pronta para chantilly - chantimix...ai...Deus me perdoe...risos)
cobertura Top leite moça de chocolate

Preparo:
Pique as bolachas num processador até ter uma farofa e mistura e manteiga derretida e vá pressionando esta mistura no fundo de uma forma de fundo removível até preencher tudo. Leva para a geladeira por meia hora para firmar enquanto você faz o recheio.

Coloque as gemas e o açúcar na batedeira e bata até ficarem claras e espessas. Adicione o mascarpone (catupiry) e o cream cheese e bata até ficar uniforme. Reserve.

Coloque a gelatina conforme indicação do fabricante com a água (a minha pedia 5 colheres de sopa para cada pacotinho de galatina) e espere 1 minuto para hidratar. Coloque no microondas por 15 segundo ou numa panela no fogo até derreter de novo (sem cozinhar). Dissolva o café numa colher de sopa de água fervendo e misture o café, a gelatina e a Amarula na mistura de queijos que estava reservada.

Coloque o creme de leite fresco (ou chantimix) numa tigela e bata até ficarem firmes e depois incorpore no resto.

Despeje a mistura por cima da base de bolachas e leve para a geladeira por 3 horas. Depois é só desenformar e decorar na hora de servir com a cobertura.

Fiz questão de decorar o cheesecake para o primeiro desafio, olha que lindinho...é para vocês que estão participando



ESTÃO PARTICIPANDO DESTE DESAFIO:

Filipa






segunda-feira, 28 de abril de 2008

Faltam só 2 dias para o desafio do cheesecake - venha fazer o seu.

Já expliquei tudo no post de primeiro de abril, mas como este é o primeiro mês, aí vai de novo para vocês se lembrarem.


1) Todo primeiro dia do mês eu coloco aqui no site um desafio de um prato que deve ser preparado por vocês em suas casas ao longo de todo o mês. Você pode fazer a sua receita, da forma como quiser, desde que seja o prato proposto aqui...esta é a idéia, trocar as receitas, pois se todos fizessem a mesma não haveria troca.

2) No último dia do mês, você deve postar a receita que fez no seu site, com foto, ingredientes e modo de preparo e com o logo que fiz (que é bem simplesinho, pois não entendo quase nada de computador, mas que é bonitinho)

3) Me mande um email dia 29/04 confirmando que vai participar e dia 30/04 depois que postar a receita me mande outro email para adorocozinhar@hotmail.com confirmando que postou sua receita do desafio, para eu poder listar os links aqui no site, assim todo mundo pode ver variações de um mesmo prato e podemos trocar muitas experiências.

E para começar, como estou à procura do creme perfeito e ainda não achei (e pode ser que algum de vocês saiba fazê-lo) vou lançar o desafio do CHEESECAKE e espero que dia 30/04 eu veja muitas idéias maravilhosas para eu testar aqui em casa depois.

Restaurante da hípica

Ontem fomos com meus pais almoçar no Restaurante da Hípica a convite deles para conhecer a comida que eles diziam ser maravilhosa e conhecer o chef, pois minha mãe sempre falava do meu blog para ele e ele queria que eu fosse lá...então fomos almoçar.

Acho que as fotos vão falar por si só, mas só para constar, quem é de Guará e ainda não foi, VÁ, a comida dele é divina. E quem não é...sinto muito, mas ele me disse que vai me mandar a receita de um monte de coisas que gostei...o arroz marroquino já me ensinou a fazer lá mesmo e vou colocando aqui aos poucos ok?

Ele tinha um pão lá, numa cesta, e minha mãe me diz assim: "Come um pedacinho deste pão para você ver como é bom?" e eu respondo "Eu não...tanta coisa boa e vou comer pão?", mas minha mãe insistiu e me fez experimentar um pedaço...ok...comi mais umas 4 fatias depois disso...o pão dele é divino...espero a receita...risos.


Além disso tinha muita coisa, mas o que provei e adorei foi.
O tabule estava muito bom, com o pãozinho, rúcula e azeite e este croquete é de couve-flor, uma delícia. O arroz desta foto é o marroquino, que como o próprio Boueri (o chef) me ensinou tem que ter o visual, o sabor e o aroma e os pratos dele com certeza tem os três...


Depois tive que experimentar um pouco de cada arroz, porque tinha o marroquino (que repeti é claro), tinha risoto de alho poró e ainda tinha uma paella, então experimentei um pouco de cada.


Olha a mesa, quanta opção...



E eu não posso ir embora sem uma sobremesa é claro...petit gateau em mim...também estava muito bom.

Saí de lá até feliz...olha a família rindo à toa (minha mãe, eu e a Sarah)



Estou até agora pensando naquele arroz marroquino e naquele pão...hummmmm.

domingo, 27 de abril de 2008

Bolo de milho de liquidificador igual ao da roça

Este bolo é perfeito exatamente por estes dois motivos:
O primeiro é pelo fato de ele ser de liquidificador, pois não precisa fazer nadinha depois, é só colocar tudo lá dentro, bater, e de lá diretíssimo para a forma untada para assar...chato né?
O segundo é que, mesmo sendo feito com milho em lata e de liquidificador, se ninguém te contasse isso você teria certeza de que ele foi feito com a espiga de milho in natura e que veio de alguma fazenda ou roça perto da sua casa, pois o sabor é perfeito.

Comi a primeira vez este bolo numa aula que eu fazia quando estava grávida e me apaixonei e acabei pedindo a receita (é LÓGICO) e dali prá frente já o comi várias vezes, mas nunca ele acabou tão rápido como ontem...fiz o bolo aqui na casa da minha mãe e ele durou menos de 24 horas (o bolo todo), acreditam? Eu só tive tempo de comer 2 pedaços dele ainda quente e não comi mais.

Quando me deram esta receita, ela era monstruosa de grande, para vocês terem uma idéia era 3 vezes maior que a receita que eu fiz e daí não cabia tudo no liquidificador, você tinha que bater metade e depois a outra metade e dava um bolo imenso.

Então desta vez reduzi a receita (dividi por 3) e deu um bolo normal, com a forma de buraco no meio...aliás, este foi um erro meu, mas um erro calculado.
É que este bolo foi feito para ser assado em tabuleiro retangular, pois depois temos que colocar nele quente uma mistura de açúcar com canela para cortar os quadradinhos e servir, mas minha mãe não tinha uma forma pequena o suficiente para a quantidade de massa que eu tinha feito, então teve que ser na de buraco no meio mesmo...o que não foi ideal, pois o bolo quebrou na hora de desenformar, e não porque não sei desenformar um bolo não, é porque este bolo tem uma consistência entre um pudim e um bolo (mais esfarelado que um pudim e menos esfarelado que um bolo...haha) e fica pesadinho para desenformar.

Enfim, vou colocar aqui a receita que fiz (dividida por 3), mas pelo que contei vocês já perceberam que da próxima vez vou ter que aumentar mais uma né?



Receita:
1 lata de milho verde com a água e tudo
1 xícara de leite
2 ovos inteiros
1/3 de xícara de óleo
1 xícara de açúcar
6 colheres de sopa bem cheia de fubá
1 colher de sobremesa de fermento

Bata tudo no liquidificador e assem em forma untada, no forno pré-aquecido a 180 graus por 30 minutos em média ou até que, enfiando um garfo no centro do bolo, ele saia limpinho.
Depois que o bolo estiver assado, polvilhe açúcar e canela misturados por cima dele (na proporção que você gosta)

Para acompanhar o café e o bolo, ganhei de uma amiga da minha mãe que é muito querida e muito atenciosa, uns biscoitinhos que estavam divinos...ela ficou de me dar a receita se eu gostasse para eu poder fazer para vocês, então coloco aqui todo dia, mas olha que mimo eles todos pequeninos (são menores que meu polegar) cada um de uma forma diferente. Marina, obrigada mais uma vez!!! (Foi ela quem me ensinou a fazer os fios de ovos...lembram?)

sábado, 26 de abril de 2008

Dei uma de chef. Risoto de camarão com brie


Olha a apresentação do prato gente...fala sério...ficou bonitinho né? Caprichei.

Minha mãe queria comer um risoto e queria aprender também...coisa difícil comigo, pois eu não faço estes tipos de prato com receitas medidas e sim no famoso "olhômetro", mas assim mesmo tentei ensinar para ela e posso dar uma idéia da receita para vocês também depois.

O que me deixou feliz é que fiz como se fosse um restaurante chique mesmo...eles ficaram sentados lá na sala tomando um vinho e eu fiz o risoto e levei tudo já arrumadinho no prato...muito legal...e comeram viu...comeram uma panela inteirinha de risoto, não sobrou nem um pouquinho para contar história.

A idéia da receita veio de um programa do Claude e do Renato Machado (Menu Confiança) em que eles tiveram a Malu Mader como convidada, mas eles fizeram o risoto sem camarão, com brie e a rúcula misturada no risoto (que coloquei separada pois tem gente que não gosta aqui em casa...leia-se meu marido aqui...risos) e eles colocaram proschiutto por cima e eu não para não misturar com o camarão, mas vamos à explicação.

Fiz uma panela de caldo de legumes.
Piquei uma cebola que amoleci no azeite e depois coloquei uma xícara e meia de arroz arbóreo e coloquei 1/3 de garrafa de vinho branco. Fui mexendo até o vinho reduzir e quando começou a secar eu comecei a colocar o caldo de legumes aos poucos e ir mexendo. Cada vez que começava a secar eu colocava mais uma concha (no final o caldo acabou e o arroz ainda estava durinho então coloquei um pouco de água mesmo. E no meio deste processo coloquei 1/2 xícara de parmesão faixa azul ralado na hora.

Numa panela separada eu cozinhei os camarões por apenas 5 minutos e sequei a água dele para ele dar uma fritadinha e separei alguns para enfeitar os pratos depois.

Quando a arroz estava cozido, deixei baixar só um pouco a água (não deve secar que nem arroz) e misturei 1 queijo brie cortado em pedaços (com a casquinha branca e tudo) e deixei derreter, misturei o camarão e desliguei o fogo.
Daí coloquei meio tablete de manteiga e deixei derreter.

Para dar um toque (e que toque, porque ficou uma delícia) numa frigideira bem quente e sem nada, seca, joguei um punhado de arroz preto selvagem. Você deixa ele no fogo e ele começa a estourara que nem pipoca...é bem rapidinho, daí você tira e polvilha um pouco por cima de cada prato antes de servir, dá um toque crocante que é uma delícia, além do visual...

Servi com a rúcula separada e o povo comeu prá valer.
Fazia tempo que eu não comia um risoto, foi bom para matar a saudade.

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Saudosismo

Dias muito felizes!!! Sonho realizado!!!


Pão de leite condensado da Chiquita


Chiquita era a minha avó, e quando eu era pequena ela costumava fazer muito este pãozinho, que a gente amava, porque parecem aqueles pãezinhos molinhos de padaria que toda criança adora e a receita dava muitos pães. Me lembro que ela tinha uma lata grande onde ela enchia com os pães e a gente ia comendo aos poucos.

Quando eu comecei a me interessar por cozinha, pedi a ela que me ensinasse a fazer...naquela época, como ainda tinha uns 15 anos, achava tudo absurdamente complicado e ela fez uma receita do pão comigo e eu nunca mais o fiz, não sei se por achar que era difícil, se por preguiça, ou se por tristeza de lembrar dela mesmo.

Só sei que ontem uma amiga que eu gosto muito daqui de Guará (cidade onde minha mãe mora) me chamou para tomar um café na casa dela e eu resolvi desencavar a receita dos pãezinhos, pois queria levar alguma coisa especial, e lá fui eu.

A receita é simples e, mesmo sendo um pão, ele dá ponto na massa com uma quantidade exata de farinha, o que fica bem fácil para quem ainda não sabe quando o ponto está bom. Além disso, é uma receita que rende: a minha deu uns 50 pãezinhos, sendo que não deu mais porque fiz 2 experiências diferentes que precisaram de um pouco da massa.

Você pode assar estes pães e depois colocar em saquinhos no congelador e congelar. Quando quiser é só tirar e deixar descongelando que ele continua uma delícia.

E apesar da massa ter leite condensado ele não fica doce de maneira alguma, pois é pouco leite condensado comparado à quantidade dos outros ingredientes, então ele é feito para ser salgado mesmo, para comer com manteiga, requeijão, ou o que mais você quiser (mas também fica delicioso com uma geléia).


Por fim, antes de dar a receita, queria contar que fiz 2 experiências com a massa desta vez (ou eu não seria eu).
A primeira foi fazer um pão maior, como se fosse um pão rústico que pudesse ser cortado em fatias, coisa que deu muito certo e recomendo.


A segunda foi uma rosca que fiz e, antes de ir ao forno, pincelei com gema de ovo como todos os outros mas joguei por cima uma mistura de açúcar com canela para ver se ficava como uma espécie de Pretzel...olha, não sei como fica frio, porque não sobrou para contar história, pois a hora que saiu do forno todo mundo sentou e então percebi que devia ter feito mais destes...ficou uma delícia mesmo e recomendo mais ainda.



Receita:
50 g de fermento biológico (eu usei aqueles frescos de tablete)
1 lata de leite condensado
1 medida da lata de água morna
1/2 medida da lata de óleo
4 ovos
1 pitada de sal
1 Kg de farinha (e mais um pouco para dar ponto se preciso e para polvilhar na forma)
1 gema de ovo batida para pincelar os pães

Preparo:
Bata o fermento, o sal, os ovos e os líquidos no liquidificador e despeje numa vasilha grande. Vá acrescentando o trigo aos poucos e mexendo com uma colher para misturar bem até que a massa fica bem espessa e você precise usar as mãos. Coloque o quilo de trigo todo (para mim foi o suficiente para dar ponto na massa até que ela desgrudasse das mãos e eu conseguisse fazer as bolinhas).


Polvilhe trigo no fundo das formas que você vai usar e faça as bolinhas e vá colocando com uma boa distância entre elas, pois o pão cresce bastante.
Eu coloquei duas das minhas quatro forma dentro do forno apagado para abafar e deixar ela crescer e as outras duas coloquei na mesa e cubri com uma toalha, sendo que ela tem que ficar presa em alguma coisa mais alta para não encostar nos pães quando eles crescerem e não correr o risco de furar.
Depois de 2 horas e meia eles já tinham dobrado de tamanho, então pincelei a gema em todos eles, com muito cuidado para não furar o pão (em lugares mais frios este tempo deve ser maior, por isso quanto mais abafado e protegido o lugar que eles ficarem crescendo, melhor)
Coloquei no forno baixo (180 graus) pré-aquecido. Esta massa assa bem rápido, você tem que ficar de olho...no meu forno foram 20 minutos cada forma e já estavam douradinhos.

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Macarrão com rúcula


Esta macarrão já é um clássico aqui de casa. Só não sei como pode ser um clássico variando tanto...risos, mas é. É porque eu nunca faço da mesma maneira...sempre tem rúcula e sempre tem bacon, mas o resto pode variar de acordo com a vontade do freguês, ou de acordo com o que você tenha na sua geladeira e que queira usar.

Hoje por exemplo eu usei: um tomate picadinho, o bacon picadinho, um resto de champignon que tinha por aqui, 2 ovos batidos, queijo parmesão ralado e creme de leite fresco.

Faço assim: cozinho o macarrão (aqui usamos fetuttine) e enquanto ele cozinha eu coloco azeite numa panela e coloco o bacon para dourar. Quando doura eu junto o tomate picado e o champignon (não coloco sal porque o bacon e o queijo já são salgados e já coloco sal na água do macarrão). Deixo só um pouco até juntar um pouquinho da água do tomate e para pegar o sabor do bacon e desligo.

Quando o macarrão estiver cozido eu escorro e volto para a panela daí junto nele quente os dois ovos batidos e uma xícara de creme de leite fresco que misturei com umas 100g de queijo parmesão...tudo fora do fogo.


Misturo bem (só o macarrão quente já é suficiente para dar liga neste molho) e daí coloco o macarrão numa vasilha onde já coloquei toda a rúcula lavada e por cima jogo a mistura de bacon, champignon e tomate, e depois é só polvilhar com mais queijo e servir.

terça-feira, 22 de abril de 2008

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Sorvete de abacate


Como eu disse antes, eu tinha feito um sorvete de abacate, que não tive coragem de colocar aqui por causa da minha ligeira hospitalização, mas hoje o maridão me ajudou nas fotos e como rpometido, aqui está ele.

A receita e inspiração foram tiradas do site da Ana Elisa, e posso dizer que o sorvete é uma delícia e super original, a cor fica linda e o sabor é como um creme de abacate daqueles batidos com leite, só que com consistência de sorvete...Muito bom.


Esta é a receita que fiz, adaptando um pouco a da Ana Elisa:

SORVETE DE ABACATETempo de preparo: 20 minutos Rendimento: 1 litroIngredientes:
1 abacate grande
1 xíc. e 1/2 de creme de leite fresco
1 xíc. de leite integral
3/4 xíc. de açúcar
suco de 1/2 limão
1/4 de colh. (chá) de sal
Preparo:Retire a polpa do abacate e bata-a com o restante dos ingredientes num liqüidificador até ficar uniforme. Se o dia estiver muito quente, leve o creme à geladeira por algumas horas. Senão, coloque direto na sorveteira e siga as instruções do fabricante.

Como eu estava sem a sorveteira na casa da minha mãe...tive que colocar direto no congelador, num recipiente fechado, mas ficou bom mesmo assim.

domingo, 20 de abril de 2008

Dor na consciência e em outros lugares...

Viu, oque dá comer daquele jeito...brincadeira, na verdade não comi tanto assim, mas acordei hoje com uma dor abdominal insuportável e muita ânsia, então achei por bem ir ao Pronto-socorro, onde fiquei umas duas horas tomando medicação na veia e depois de vários exames de sangue e urina, estou com uma infecção que me deu uma TREMENDA dor de estômago e fiquei o dia todo de molho...remédios, repouso, comida leve e muuita dor...então nem pude comer mais o bolo maravilhoso...para falar a verdade eu nem quis.

Agora estou melhor, mas ainda com dor.
Fiz até um sorvete ontem que ia postar hoje, mas não tive coragem para nada e nem para tirar foto..então coloco depois.

sábado, 19 de abril de 2008

Comida de mãe: feijoada e bolo de chocolate

Cheguei hoje na casa da minha mãe, em Guaratinguetá (interior de São Paulo) e enquanto ela, meu pai e meu marido estão aqui gritando de tanto torcer para o time do Guará que está jogando com a Ponte Preta, estou comendo meu quarto prato de feijoada do dia.


Gente...tirei a barriga da miséria. Falei para a minha mãe que a gente estava com vontade de comer a feijoada dela e ela caprichou...uma feijoada para umas 10 pessoas (e só tinham quatro...risos) + couve + vinagrete + farofa + laranja+pimenta + torresmo = MUITA ALEGRIA.



Matamos a saudades, comemos muito e como se não bastasse minha mãe (que não é nem um pouco chegada à cozinha (já expliquei aqui antes de onde tirei este amor) tinha encomendado um bolo de chocolate divino...bem molhadinho, com bastante recheio mas não muito doce...daí ainda comi mais 2 pedaços dele...acho que esta temporada aqui vai ser boa para a cabeça e ruim para a balança, mas depois a gente recupera.



Só para vocês verem o nível que atingiu a comilança, depois de tudo isso ainda ganhei um presente de Páscoa atrasado...adivinhem...



Ai, minha consciência está doendoooooooo!!!

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Coleção de canecas

Este post é só para me redimir do sumiço destes dias...estou de cama minha gente com uma dor horrorosa no pescoço (tipo um torcicolo MUITO forte) que me impede de ficar aqui escrevendo e me impede de cozinhar, pois a dor é instensa, então só entrei aqui para dar este alô para você, e para não dizer que não "falei das flores" estou colocando fotos de algumas das minhas canecas de coleção que amo tanto.



Estas são muito importantes, pois são de quando fiquei grávida da Sarah...eu vi num site de uma loja em SP e não tinha como comprar pois eles não entregavam, mas eu comprei e um amigo me trouxe...comprei para pais (nós), avós, titio e titia e padrinho e madrinha...cada uma com um motivo pitado à mão LINDO né?

Esta comprei na minha primeira viagem internacional...quando fui para a casa da minha irmã em Seattle (comprei na lojinha para funcionários da Microsoft) onde minha irmã trabalha.


Esta minha irmã trouxe para mim de Pisa, e é muito legal, pois ela é torta como a Torre de Pisa...por isso é única..e adoro.
Estas são só algumas...tenho muito mais que mostro para vocês aos poucos.

Amanhã estarei indo para São Paulo ver meus pais (interior de São Paulo) e vou descansar um pouco, mas vou estar no dia 02 de maio em São Paulo capital e se alguém estiver por lá, vamos marcar de nos conhecer...blogueiros de São Paulo, quero ir no Mercado Municipal comprar umas coisinhas e podemos nos encontrar...me escrevam.

terça-feira, 15 de abril de 2008

Faltam só 15 dias para o desafio, participem!!


DESAFIO DO CHEESECAKE - faltam só 15 dias...participe!!

A idéia é simples:

1) Todo primeiro dia do mês eu coloco aqui no site um desafio de um prato que deve ser preparado por vocês em suas casas ao longo de todo o mês. Você pode fazer a sua receita, da forma como quiser, desde que seja o prato proposto aqui...esta é a idéia, trocar as receitas, pois se todos fizessem a mesma não haveria troca.

2) No último dia do mês, você deve postar a receita que fez no seu site, com foto, ingredientes e modo de preparo e com o logo que fiz (que é bem simplesinho, pois não entendo quase nada de computador, mas que é bonitinho)

3) Daí basta me mandar um email para adorocozinhar@hotmail.com confirmando que postou sua receita do desafio, para eu poder listas os links aqui no site, assim todo mundo pode ver variações de um mesmo prato e podemos trocar muitas experiências.

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Totally Chocolate Chip Cookies da Nigella Lawson


Eu já tinha visto a receita no meu livro (Nigella Express) mas não tinha feito tchan...até que vi a Nigella fazer os danados no programa dela na GNT...vai tanto chocolate (em barra derretido, cacau em pó, e os chips) que não aguentei...sucumbi...fica preto de tanto chocolate e tinha uma cara divina.

Depois que fiz pude ter certeza, não era só a cara que era divina, os cookies ficam MA-RA-VI-LHOOOO-SOS. Crocantes por fora, molhadinhos por dentro, e você ainda pode congelar alguns para fazer depois.


A receita vai um monte de ingredientes, mas é bem simples de fazer.

Receita:
4 oz de chocolate amargo (cerca de 120 gramas) derretido em banho maria
1/4 xícara de cacau em pó
1 xícara de trigo
1 colher de chá de bicarbonato de sódio (eu não tinha bicarbonato e troquei por meia medida desta de fermento...não é o ideal, mas eu já tinha começado...então...foi assim mesmo)
1/2 colher de chá de sal
1/2 xícara de açúcar mascavo
1/4 de xícara de açúcar branco
100g de manteiga em temperatura ambiente
1 colher de chá de essência de baunilha
1 ovo gelado (isso mesmo, só tire da geladeira na hora de colocar na receita)
2 xícaras de chips de chocolate (é coisa para caraca, mas é assim que fica bom...risos)

Preparo:
Pré-aqueça o forno a 180 graus e derreta o chocolate em banho-maria.
Numa vasilha misture o trigo, o cacau em pó, o bicarbonato e o sal e reserve.
Na vasilha da batedeira coloque a manteiga (em temperatura ambiente) e os dois tipos de açúcar e bata até formar um creme homogêneo. Quando estiver homogêneo, misture o chocolate derretido e continue a bater.
Coloque na mistura a baunilha e o ovo gelado (inteiro direto na mistura da batedeira). Por último coloque os secos e vá batendo até misturar tudo.
Desligue a batedeira e misture os chips com uma colher.
Para fazer os cookies a dica da Nigella, que é bem legal, é usar uma colher de sorvete. Você enche ela de massa e tira a bolinha (como se fosse sorvete) na forma (que não precisa nem untar e nem de papel manteiga - vai direto na forma).
Tanto a receita que vi a Nigella fazer, quanto a minha, deram 12 cookies medidos desta forma (que são cookies bem grandes).
Você não deve achatar os cookies depois de tirar da colher de sorvete...eles vão descendo sozinhos no forno por causa da manteiga e tudo mais. Eu pus 4 destas bolinhas na forma e coloquei direto no congelador, congelei e depois coloquei em saquinhos zip-loc para assar um outro dia.
Coloque no forno por 18 minutos mais ou menos. Você deve fazer como se fosse um bolo, passado este tempo, espetar um palito, mas ele deve sair semi-limpo, e não seco como no caso do bolo. Daí já está bom. Tira do forno, deixa mais uns 5 minutos na forma para esfriar e já pode servir.

domingo, 13 de abril de 2008

Dia do beijo

Como hoje é dia do beijo, achei que vinha bem a calhar...tive que colocar.

Beijos a todos neste dia.


Torta de banana MUUUUITO fácil.

A gente sempre tem banana sobrando em casa que já tá até preta de maura e logo vai perder né? Lembrei da Ana Elisa agora...

Aqui em casa não é diferente, o que é diferente é que NUNCA jogo comida fora...aqui "nada se perde, tudo se transforma"...risos.

Então a banana que ia estragar virou minha clássica torta de banana de camadas. E ela quantinha com o sorvete de Maple Syrup...hum..lembra do melado com farinha? hehe



Receita:
1 e 1/2 copo de farinha de trigo
1 copo de açúcar
1 colher de chá de essência de baunilha
1 colher de sopa de fermento
1/2 lata de leite
4 ovos
1 lata de leite condensado
bananas fatiadas

Preparo:
Misturar os ingredientes secos (farinha, açúcar e fermento) e dividir em 2 partes.
Pegue um tabuleiro untado e coloque metade da farofa. Por cima disso faça uma camada de bananas fatiadas e despeje o restante da farofa por cima.
Bata no liquidificador os ovos, o leite condensado, o leite e a baunilha e despeje esta mistura na forma por cima de tudo. (eu polvilhei um pouquinho de canela por cima de tudo...não resisti...risos).
Coloque no forno médio, pré-aquecido até dourar e estar cozida a massa.

IMPORTANTE: Vocês devem ter reparado que na primeira foto da torta onde mostro as camadas de banana estou usando uma forma redonda e depois ela pronta está numa forma quadrada...risos...é porque a mistura que se bate no liquidificador fica bem alta na forma e depois que for ao forno cresce ainda mais...e eu tenho um problema sério com este negócio de espaço...sempre acho que vai caber e depois vejo que não (como no bolo verde...risos), então usem uma forma grande.


sábado, 12 de abril de 2008

Balas de tangerina



Este é só um produto que achei bonito e queria mostrar para vocês...o gosto poderia ser mais azedinho, afinal foi nisso que pensei quando vi que eram de tangerina...mas não é, é doce, mas achei uma graça o formato em gominhos, dá para enfeitar um doce de tangeria...um sorvete ou até mesmo para fazer lmbrancinhas de aniversário e tal.
Amei...os gominhos são do tamanho de uma tampa de caneta...muito fofos e parecem de verdade.

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Conforte-me com...

Minha mãe costumava fazer esta comida para a gente desde que me conheço por gente e sempre gostamos muito. Qual criança não gosta de purê de batatas?
Então ontem resolvi fazer para a Sarah, que diga-se de passagem me dá um trabalhão para comer carne. E não é que a danada bateu um pratão e nem reclamou da carne...clássico é clássico.

E como toda comida de mãe (ou vó) é sempre super simples de fazer, não ten absolutamente nenhum segredo.


Refogue a carne moída na panela com os seus temperos de costume e coloque numa travessa. Depois faça um purê de batata e cubra a carne. Para finalizar eu polvilhei queijo parmesão fresco ralado na hora e coloquei um pouquinho só no forno para dar uma ligeira gratinada, senão a comida fica seca.
Difícil né? haha.


A dica aqui é que vc pode trocar a carne (caso seja vegetariano ou tenha alguma sobra na geladeira) pelo que quiser, pode fazer de legumes, de frango...pode variar.