quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Ano que vem...epa...amanhã.

Ano que vem eu quero fazer não só as coisas que eu preciso, mas também as que eu quero. Quero ir mais ao cinema, ouvir mais música, ler muito mais e visitar alguns amigos queridos. Quero fazer pic nic, correr uma prova de 5 Km, dormir bem e tomar café da manhã saudável todo dia...e um não tão saudável de vez em quando. Ano que vem quero aprender coisas novas e retomar alguns projetos antigos. Comer em restaurantes divinos e cozinhar coisas inéditas. Quero andar a pé de mãos dadas com o Frederico e olhar a Sarah crescer. Quero trabalhar com a honestidade de sempre e conquistar meu lugar. Quero mais coisas que não posso colocar aqui...e quero que todos vcs tenham saúde para curtir tudo que a vida preparar.



FELIZ ANO NOVO!!!!!

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

FELIZ 2010!!!!!!!

ESTE ANO VAI SER UM ANO DIFERENTE...



Não é conversa de Ano Novo não...é certeza mesmo. Depois de um 2009 muito suado, com muito trabalho para recuperar o que havia sido perdido, este ano promete viagens, novos desafios, mais qualidade de vida e também alguns percalços, porque sem eles a vida não tem graça.
Eu, por exemplo, estou digitando este texto com uma mão, pois a outra está engessada devido a um acidente e permanecerá assim até fevereiro...bom começo de ano...risos.
Mas a partir de fevereiro vou tirar todo o atraso das minhas postagens aqui e atualizar o blog sempre (resolução de ano novo).

E vocês? Quais as resoluções para este ano? Vou pensar mais um pouco nas minhas e depois coloco aqui.

FELIZ 2010!!!!!!!

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

D.O.M. - meu presente perfeito!!

" Frederico diz: - Vou te levar num lugar especial em São Paulo no nosso aniversário de 10 anos de casamento...
Eu: Onde?
Ele: Onde seria o lugar que você mais gostaria de jantar se pudesse escolher?
Eu: No D.O.M., claro...
Ele: Pois é...
Eu nesta hora estava sem palavras e só ria e gritava...risos"

Não dá para descrever o que é, para alguém que ama a gastronomia e a arte de cozinhar como eu, e admira quem sabe fazer isto tão bem, chegar na frente daquele restaurante.
Pode ser que eu idolatre demais e seja meio piegas, mas não estou nem aí, porque eu AMO mesmo e nem tenho vergonha de falar.
Sempre admirei o trabalho do Alex Atala, sua carreira, seu programa no GNT, sua parceria há um tempo atrás com o Luciano Hulk para ajudar restaurantes falidos a ganhar vida de novo no programa do Caldeirão...e a comida dele...LÓGICO, pois eu nunca tinha tido o prazer de comer, e nem achei que teria nesta vida...então ficava só lá olhando os livros, o programa e babando...

Mas voltando à experiência em si. Frederico fez uma reserva, me levou para São Paulo, e quando deu o horário estávamos numa rua sem saída, em frente a uma porta enorme e lindíssima e aquele nome lá...


D.O.M. - Dominus Optimus Maximus

Sempre achei o nome original e bonito, mas só depois que a gente come lá é que entende que realmente expressa tudo...

O local é pequeno, sem exageros, mas com um pé direito enorme e um papel de parede lindíssimos. Tudo simples e de bom gosto, desde móveis até talheres.

A cozinha é toda de vidro, para que a gente possa ver o que acontece, e a única gafe do Frederico aí foi ter sentado de frente para ela e ter me deixado de costas para esta experiência para os olhos...mas tudo bem, afinal fomos comemorar 10 anos de casado e ele não ia querer que eu ficasso olhando a cozinha do restaurante o tempo todo né?

O couvert já é uma delícia, vários pãezinhos e grissinis com uma coalhada, uma espécie de patê de alho com um alho caramelizado em cima (bem suave e delicioso), manteiga presidente e manteiga aviação.

De entrada eu e o Frederico comemos uns aspargos verdes com ovo frito e uma espuma com castanha-do-pará ralada na hora por cima. Simples mas gostoso.

Daí vem o prato principal, que nem sabia por onde começar de tanta novidade que tinha ali. Eu escolhi um fettucine de palmito pupunha com manteiga de coral e camarão glaceado. Não sei nem descrever a sensação deste prato.
O fettucine não é uma massa, é feito do próprio palmito e tem uma textura mais crocante, uma sensação mais al dente e com um sabor incrível da manteiga e dos camarões, que estavam uma perdição.

O Frederico comeu Raia na manteiga de garrafa, com mandioquinha defumada, brócolis e espuma de amendoim...que também gostou muito.

Neste momento o frederico diz:
"Acho que vi o Alex Atala passar aí atrás de você, se não era ele era o sósia dele...
Eu: Como assim? e você só me avisa agora?
Ele: Acho que ele foi embora"

Podia ter sido perfeito...mas me conformei...

Pedimos as sobremesas:
Eu escolhi o famoso ravioli de banana com maracujá e sorbet de tangerina...simplesmente sem comentários de tão bom aquele sorbet...

O Frederico pediu Torta de castanha do pará com sorvete de whisky, curry, chocolate, sal, rúcula e pimenta. Diferente né?

Daí eu olho para a porta, quase na hora de assinar a conta já, e vejo ele entrando, o próprio ALEX ATALA...

Ele passa pela minha mesa...olha prá mim e acena com a cabeça me cumprimentando...até aquele momento eu era mais uma das inúmeras pessoas que passam por ali diariamente para conhecer...comer...
Mas eu não era qualquer uma...era uma fã, e aquele era meu aniversário de casamento, e eu não teria outra oportunidade de dizer para ele como estava feliz de comemorar ali, então me enchi de coragem, chamei o garçon e pedi para ele dar um recado ao chef...mas ele me interrompeu dizendo que eu mesma poderia falar para ele pessoalmente, me conduziu ainda tonta de vergonha até a cozinha e o chamou.

Ele vem lá do fundo da cozinha sorrindo, sem aparentar nenhum mal humor pela cliente doida que queria falar com ele, me cumprimenta com um aperto de mão e eu digo que a comida estava maravilhosa, que estava comemorando meu aniversário de casamento de 10 anos ali e que estava muito feliz. Ele vai comigo até minha mesa, cumprimenta o Frederico e nos pede para que a gente não demora mais 10 anos para voltar lá...SUSPIROS...
Diz que tb fez 10 anos de casado e "renovou o contrato", brincando e quando eu difo que da próxima vez levarei um livro para ele me autografar, ele diz que eu posso enviar para ele e ele me manda de volta pelo correio se eu não quiser esperar (imagina se não vou mandar logo???).
brinquei que a Sarah (minha filha) tinha adorado o sorbet de tangerina e ele até oferece para ela ver se quer mais...

Nos despedimos, pagamos a conta, e fomos embora...eu sem me aguentar.

Quando entro no carro meu marido olha prá mim e diz: "PODE GRITAR AGORA!"

Seguido de um grito meu: Yes........U-HUUUUUUUUUUUUU... DEMAISSSSSSSSSSSS

Foi o melhor presente que ganhei em 10 anos...

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

O Natal está chegando!!!

Mais atrasada que eu impossível né...ainda estava comemorando Halloween...risos. A vida tá tão corrida que do Carnaval pro Natal eu nem vi passar. Credo.


sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Halloween!! é assim que se escreve? risos


Nós não comemoramos, mas eu gostaria muito que fosse uma tradição.
Gosto muito!!!

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Brownie duplo de chocolate e avelãs da Simone




Não tem nem o que dizer da Simone, não foi feita absolutamente nenhuma adaptação...apenas tive que administrar a crise de perceber, tempos depois de colocado no forno, que o mesmo tinha se apagado sozinho e não sabir por quanto tempo tinha permanecido aceso...então foi no olhômetro mesmo dali por diante e acabei achando que assei demais. Poderia ter ficado mais molhadinho por dentro.

Meu chocolate derreti no banho-maria, pois não tenho microondas e deu certinho.

Ingredientes:



180 g de manteiga sem sal – coloquei 150 g
250 g de chocolate meio amargo em pedaços
4 ovos grandes – coloquei 5 pequenos
250 g de açúcar refinado – coloquei 150 g e ficou bem doce
100 g de açúcar mascavo
1/2 colher (chá) de sal
1.1/2 colher(chá) de baunilha
150 g de farinha de trigo
250 g de chocolate ao leite picadinho – coloquei cerca de 180 g de chocolate meio amargo picadinho


Modo de Fazer:



Pré-aqueça o forno a 180oC.
Forre uma assadeira tamanho 33×23cm, com papel alumínio ou manteiga, deixando sobrar bordas nas laterais -para facilitar na retirada do bolo da assadeira.
Em uma tigela apropriada para microondas, junte a manteiga e o chocolate e leve por cerca de 3 minutos, na potência média, ou até que estejam derretidos. Misture bem e reserve.
Em uma outra tigela, bata os ovos e os dois açúcares até ficar cremoso – o livro pede por batedeira, mas fiz tudo na mão. Adicione o sal, a mistura do chocolate e a baunilha. Adicione gradualmente a farinha e por último os pedacinhos de chocolate e as avelãs.
Despeje a mistura na assadeira preparada e leve para assar por cerca de 30 minutos, até firmar. O seu interior ainda deverá estar bem pegajoso, molinho…para que quando esfrie, continue cremoso.
Esfrie por completo e só então retire o brownie da assadeira. Se quiser, deixe no freezer por uns 10 minutos depois de frio. Isto facilita na hora da retirada. Sirva em temperatura ambiente

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

15a. Harmonização Virtual do Gourmandise e Le Vin au Blog

Até que enfim, já da décima quinta edição da Harmonização Virtual, eu consigo participar...achei que já era perseguição...risos.
Explico: toda vez eu não acho algum ingrediente chave ou o próprio vinho, ou era o tempo mesmo que me consumia, mas desta vez os anjos falaram AMÉM e tudo deu certo. A não ser pelo trabalhão que dei para a Nina me achar e me mandar o email com a receita. Valeu Nina.

A sugestão era a harmonização de um prato asiático com um vinho alemão - Riesling (diferente né? mas valeu a pena).

Fiz a receita quase toda ao pé da letra, só tive que substituir 2 ingredientes.
No lugar de geléia de kinkan eu usei geléia de laranja mesmo, e no lugar do vinho de arroz, coloquei vinho branco (ambos, por não encontrar os ingredientes por aqui).

Vamos a eles:

Lombo de porco com kinkan (no meu caso com laranja):



(6 porções)
1.5 kg lombo de porco limpo
1 tsp sal
1 tsp de especiarias moídas (pimenta do reino preta moída na hora, coentro em grão e anis estrelado)
1 pimenta dedo de moça sem semente finamente fatiada (tamanho médio)
4 tbsp óleo de girassol ou milho
5 cebolinhas em pedaços de 4cm
3 tbsp de vinho de arroz chinês (Shao Shing)
2 tbsp de shoyu
água quente q.b.
2 tsp de gengibre ralado
4 tbsp de geleia de kinkan ou laranja
2 tsp de amido de milho
1 clara de ovo



Modo de preparo:

Corte o lombo em cubos de 2,5cm. Tempere com as especiarias e o sal. Deixe descansar por 15 minutos. Una a clara de ovo e o amido. Deixe repousar por 5 minutos.
Aqueça bem 3 tbsp de óleo em panela de fundo grosso ou wok. Doure os cubos de lombo. Remova da panela e mantenha aquecido.
Aqueça o óleo restante na panela e salteie a cebolinha e a pimenta vermelha por alguns segundos. Volte o lombo, una os líquidos (vinho, gengibre e shoyu) e a geleia, deixando a água por último.
Em fogo baixo, cozinhe acrescentando a água quente aos poucos, até a carne ficar tenra e obter uma quantidade razoável de molho.




Caprichamos na decoração, afinal era nossa primeira harmonização...





Confesso que comida agridoce não é muito minha favorita, gosto das sensações de doce e salgado separadas, mas mesmo assim achei tudo uma delícia.
O prato, apesar de vários ingredientes e temperos, é bem simples de se preparar. O cheiro e sabor da pimenta, anis estrelado e gengibre, misturados com a carne e a geléia deram um tom meio picante no prato, o que combinou super bem com o vinho que é branco, com sabor bem suave e parecia refrescar a boca depois de cada garfada. SUBLIME.

Já estou esperando a próxima harmonização...assim quem sabe aprendo mais sobre vinhos, pois neste assunto me considero ainda uma leiga.



terça-feira, 22 de setembro de 2009

Limão siciliano no sal




Lá vem o limão siciliano de novo...desculpem, mas eu os AMO!!!

Dia destes assistindo o Claude Troisgros na GNT, presenciei uma novidade. Ele fazia uma receita de Kafta, mas como um dos temperos e especiarias usava a casaca de um limão siciliano finamente picado que tinha tirado de uma espécie de conserva. E daí explicou como fazer esta conserva, o que achei mais uma maneira maravilhosa de usar este ingrediente que eu tanto amo.

Mais simples impossível.




Corte os limões em 4 pedaços, coloque em um vidro e cubra de sal. Ponha o pote fechado na geladeira por no mínimo um mês e mexa de vez em quando.

Quando precisar pegue a quantidade desejar, lave bem em água corrente para tirar o sal e tire o meio do limão, usando só a casca (que agora parece cozida) para usar nas suas receitas.

Mais que depressa corri para fazer o meu, que agora está lá na geladeira, impaciente, esperando um mês para ser usado.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Pudim de limão do Chucrute.





Há algum tempo atrás estava visitando os blogs que leio sempre e vi esta receita no Chucrute e imediatamente fiquei salivando. Tinha tudo o que eu gostava: limão siciliano, novidade, azedinho e doce.



Então resolvi fazer no mesmo dia aquela receita, mas só agora consegui postar. O que posso dizer é que é maravilhosa, pois é um doce simples e diferente, tem uma textura leve e cremosa.


DIVINO!!!





1/2 xícara mais 2 colheres de sopa de açúcar
3 ovos grandes, gemas e claras separadas
1/4 xícara de farinha de trigo
1/4 xícara mais 2 colheres de sopa de suco de limão
2 colheres de sopa da casca do limão ralada
3/4 xícara mais 2 colheres de sopa de leite integral
1/4 colher de chá de sal


Pré-aqueça o forno em 350ºF/ 176ºC. Unte seis potinhos com manteiga. Misture 1/2 xícara de açúcar, as gemas, a farinha, o suco e raspas do limão numa vasilha grande e bata bem. Junte o leite e bata novamente. Na batedeira, coloque as claras e o sal e bata bem, junte 2 colheres de sopa de açúcar e termine de bater até formar picos. Adicione delicadamente as claras batidas na mistura de limão em duas partes. Divida a mistura entre os 6 potinhos e coloque sobre uma forma com água até a metade dos potinhos. Leve ao forno por 30 minutos, ou até que os pudins fiquem levemente dourados. Remova da forma com água e deixe esfriar um pouco. Sirva morno ou frio.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

O pão nosso de cada dia...


Este me deixa feliz, porque me permite fazer variações de todo tipo: com ervas, canela, mel...o que for. Basta misturar o que quiser e ele muda de cor e sabor e continua macio e gostoso.



Receita muito antiga do Globo Rural.
20G DE FERMENTO FLASHAMAN

1/3 DE XICARA DE ÓLEO
1 OVO
1 COLHER DE SOPA SE SAL
1 COLHER DE SOPA DE AÇUCAR
2 XICARAS DE LEITE MORNO
3 COLHERES DE SOPA DE ERVAS FINAS
4 XICARAS E ½ DE FARINHA DE TRIGO
BATER TODOS OS INGREDIENTES NO LIQUIDIFICADOR, MENOS O TRIGO.
DESPEJAR O LIQUIDO EM UM RECIPIENTE GRANDE E IR JUNTANDO O TRIGO AOS POUCOS, MEXENDO COM UMA COLHER.
NO FIM DAS 4 XICARAS E ½ , ACRESCENTAR TRIGO AOS POUCOS E IR SOVANDO COM A MÃO, ATE DAR PONTO.A MASSA FICA UM POUCO GRUDENTA. RENDE 2 PÃES DE FÔRMA.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Gelado de morango com manjericão.


Sei que a chuva tá braba e a época de gripe também, eu mesma estou com criança gripadíssima em casa.
Mas há 2 semanas atrás estava um sol tremendo, daqueles que você abre a janela e pensa: "Eba, o verão chegou".
Foi num dia destes que abri o armário e resolvi tirar o pó da minha sorveteira que já estava até carente, mas eu só tinha morangos e não aguentava mais fazer sempre o sorvetão básico.
Fuça aqui e ali e vê esta receita da Fer que me fez pensar...será que fica bom? será que não é esquisito?
É lógico que daí tive que fazer de qualquer jeito né...curiosidade mata e tenho um pé lindo de manjericão lá me olhando prá que?
A receita eu modifiquei só uma coisinha:
Morangos a gosto
Folhinhas de manjericão fresco a gosto
1 xícara de creme de leite fresco
1/2 xícara de leite integral
Maple Syrup (porque eu não tinha mel, que relapso)
1 colher de sopa de vodka
Bater tudo no liquidificador e levar à sorveteira.
Eu achei que não ficou cremoso, mas acho que esta é a proposta do gelado, não ser cremoso como o sorvete, mas eu prefiro o cremoso mesmo...risos.
Mas o sabor é incrível, aprovadíssimo.

sábado, 5 de setembro de 2009

Continuando na simplicidade.


Salada caprese...tudo de bom. E com manjericão plantado aqui em casa mesmo.

sábado, 22 de agosto de 2009

Quanto mais simples, melhor!!



Ainda falando de Águas de São Pedro, nada muito sofisticado fora do famoso Grande Hotel, mas ótimas opções de boa comida. Quando falo de boa comida falo de sabor, com simplicidade de ingredientes e preço acessível, pois boa comida não precisa ser necessariamente cara do meu ponto de vista.


E ainda tem lugares encantadores e um dia gostoso e tranquilo para se aproveitar.


terça-feira, 11 de agosto de 2009

Águas de São Pedro

Este fim de semana fiquei curtindo a cidade de Águas de São Pedro, que é uma das cidades vizinhas a Piracicaba e onde eu atuo profissionalmente.



É um lugar bem tranquilo e bem pequenininho, mas onde temos muita coisa para saborear e olhar. Um pequeno centro comercial, pois a cidade é turística por causa de suas águas com propriedades medicinais e também por cauda do Grand Hotel, muito conhecido pela escola do Senac de Gastronomia, onde pretendo fazer um curso qualquer hora dessas.


Comemos num restaurante delicioso, mas por não estar com as fotos aqui vou deixar este post para depois. Hoje coloco para vocês só um pouquinho da tranquilidade do lugar para dar uma água na boca.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Once upon a time...

Era uma vez uma pessoa que amava comida e, consequentemente, comer. Um dia esta pessoa percebeu que só comer não era tão legal, era melhor ainda quando ela mesma cozinhava, descobria um receita ou uma técnica nova, e fazia coisas que ela nunca acreditou que fosse capaz. Então ela começou a se dedicar e aprender e foi melhorando.

Quando isso aconteceu ela começou a se interessar também não só mais por comida, mas por tudo que pode ser usado de APETRECHO dentro de uma cozinha e começou a comprar uma coisinha aqui, outra ali, mas o que mais chamava a atenção dela eram as máquinas incríveis que inventavam para ajudar os principiantes a fazerem receitas de chef...e lá foi ela experimentar.

O sonho dela era ter uma máquina de café expresso, mas a primeira compra dela não foi feliz e a máquina não era boa, mas assim mesmo foi usada até cansar.

Depois comprou uma máquina de fazer pão, que é um espetáculo e faz cada pão cheiroso que só vendo.

Mas ela aprendeu a técnica de fazer pão sozinha e era tão mais gostoso, que a máquina não é mais tão usada hoje em dia.

Daí ela comprou uma sorveteira, que é a alegria da casa no verão e faz cada delícia que só vendo, mas a vontade de tomar um café igual ao da cafeteria em casa não ia embora, e ela pesquisava aqui, namorava ali, mas não chegava a uma conclusão de qual máquina comprar e se valeria a pena.

Foi quando ela conheceu a Nespresso, e se apaixonou, mas era tão cara que ela esperou, esperou, esperou e esperou mais um pouco.



E de tanto esperar ela arrumou um emprego melhor, pagou as contas e num certo mês sobrou uma graninha...e a máquina era linda...e era em 10 vezes...vermelha...parecia um carro novo...a Ferrari das máquinas de café, e ainda vinha com um PLUS, fazia leite vaporizado para o capuccino, daí acabou, não deu mais para resistir, e ela comprou a máquina feliz da vida e ficou na maior ansiedade por uma semana esperando chegar a compra que fez pela internet.




E não é que quando chegou era tudo aquilo mesmo??? Café saboroso, rápido, quentinho, com gosto de café expresso de cafeteria. E o capuccino então? e do design.


OK, ela ainda não expulsou o marido da cama para dormir com a cafeteira, mas tá quase...hahaha. Ah!!! e como o sachê da máquina serve um café individual (e maravilhoso) e custa cerca de 1,90 cada, para tomar café agora, ela colocou um cofrinho do lado da máquina e tem que pagar 2 reais...é mole?

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Estão acompanhando?

Vocês continuam acompanhando os posts antigos que estou trazendo de volta aqui embaixo? Para quem olha só o topo da página, parece que não mudou nada, mas estou colocando mês a mês meus posts do blog antigo aqui embaixo e acabei hoje a semana legal que fiz com as colaborações dos blogs para o resproveitamento integral dos alimentos.

Olhem quanta coisa interessante.

Beijos

domingo, 17 de maio de 2009

Pannacotta de Amarula





Quando fiz a minha primeira Pannacotta, tive a péssima idéia de usar Countreau, e o doce ficou com um gosto tão forte da bebida que só o Frederico conseguiu comer aqui em casa...ficou com uma consistência maravilhosa e a aparência também, mas o gosto...

Fiquei frustrada e resolvi tentar de novo, agora usando Amarula, que é uma bebida que eu adoro e bem mais suave...e desta vez sim...ficou uma delícia. Suave, bonito, na medida exata.


A receita, como da outra vez, é metade da original, como sempre, pois senão sobra muita comida por aqui, e rendeu 3 ramequins pequenos.

1 e 3/4 de folha de gelatina incolor
300 ml de creme de leite fresco
55g de açúcar
3 colheres de sopa de Amarula
1/2 colher de chá de extrato de baunilha (no meu caso dos feitos em casa)

Coloque a gelatina numa vasilha e cubra com água e deixe por 5 minutos.

Numa panela coloque o açúcar e o creme de leite em fogo baixo, mexendo sempre até o açúcar dissolver (cerca de 3 minutos). Escorra a água da gelatina e esprema bem para retirar o excesso e coloque só a gelatina na panela, sempre mexendo até a gelatina se dissolver por completo (é bem rápido). Desligue o fogo e acrescente a bebida (e eu acrescentei 2 gotinhas de corante laranja).

Despeje tudo nos ramequins e leve para a geladeira até endurecer.
Na hora de servir basta ferver um pouco de água, desligar, e passar o fundo do ramequim na pagua quente. Depois é só desenformar em um prato e decorar com a calda.

Eu decorei com a calda de xarope de romã que tenho aqui e que deu um visual lindo e o outro coloquei meu Maple de sempre.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Continuem acompanhando.

Eu continuo colocando aqui embaixo meus posts antigos do antigo endereço do rocambole, então sempre dê uma olhadinha nas novidades, porque eu também estou relembrando e adorando.

Estou no mês de junho do ano passado agora e com receitinhas deliciosas.
Beijos

terça-feira, 28 de abril de 2009

Eu no Panelinha!!


Eu fico tão orgulhosa de, mesmo sem cozinhar há tanto tempo, ainda aparecer num site tão bem conceituado como o da Rita Lobo...e acreditem, ela é uma simpatia, me escreveu um email dia destes, fiquei toda lisonjeada, porque não é sempre que a gente conversa com Deus né? risos.


A receita que me deu o lugar de honra foi meu risotto de cenoura que é uma receita da Heloísa Bacellar e que está num post antigo que ainda não puxei para cá, mas logo chega tá?


sexta-feira, 24 de abril de 2009

Trocando de casa

Olá queridos, o meu blog está mudando de casa por motivos que fogem da minha alçada e por causa disso estou trazendo aos poucos meus posts de lá para cá...isso vai ser ótimo, porque eu vou poder relembrar como tudo começou e você também.

Vocês vão ver como era simplesinho no começo as fotos e tudo o mais e como foi melhorando, a cara do blog eu mudo depois, pois tenho pouco tempo para recuperar meus posts ok?



Então hoje começamos com os posts de dezembro de 2007, quando tudo começou.

domingo, 12 de abril de 2009

Papilote de aspargos


Fizemos um churrasco semana passada aqui em casa e eu confesso que estava meio cansada do modelo carne-carne-carne. Estava com muita vontade de comer aspargos e resolvi arriscar um papilote dentro da churrasqueira.

A receita que achei num livro pedia creme de leite fresco e eu não tinha, então usei creme de leite de caixinha mesmo...parece que deu uma coalhada, mas o sabor não deixou nada a desejar...estava uma delicia.

Primeiro cortei as pontas dos aspargos e raspei um pouco a casca de fora dos aspargos mais grossos e coloquei na água fervendo, de pé, só com a metade de baixo dentro da água, por cerca de 5 minutos até ficar bem cozidinho.






No papel laminado coloquei bastante azeite e coloquei os aspargos por cima. Temperei comsal e pimenta e depois coloquei queijo ralado, manjerona fresca e creme de leite. Fechei bem o papilote e levei para a grelha da churrasqueira por uns 20 minutos.


Ficou MUITO BOM!!!!

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Lentilha de ano novo.


No Reveillon fui para a casa de uma amiga aqui em Sorocaba, e como todos sabem, Reveillon é sempre uma festa com MUITA comida e também com muitas tradições.
Eu costumo sempre fazer a tal listinha de resoluções para o ano que está chegando, que é uma coisa que eu gosto, além de outras coisinhas mais, mas eu nunca tinha seguido nenhuma tradição culinária, do tipo comer Nhoque com uma nota de dinheiro embaixo do prato e tal.

Mas desta ves esta minha amiga tinha feito lentilha, e disse que daria sorte comer 7 colheres da tal sopa. Eu não sou muito chegada e me recusei no princípio, mas daí meu marido resolveu comer...bem do meu lado...e aquele cheirinho foi subindo e quase me senti num daqueles desenhos do Tom e Jarry onde o ratinho sai hipnotizado até o queijo sabe?

Não resisti e pedi um pouco...estava um ESPETÁCULO...assim como tudo o que ela cozinha.

Dito e feito...comi as 7 colheres, repeti e acabei ficando apaixonada. Em menos de 2 dias já estava eu na cozinha de casa fazendo o danado de novo...e não é que ficou bom também?

Deixei a lentilha de molho de um dia para o outro e escorri. (Não gosto de usar a água do molho porque me dá queimação depois).
Numa panela eu fritei no azeite umas linguiças picadinhas e bastante bacon, cebola e alho. Depois juntei a lentilha e cobri com água e coloquei na pressão. Depois de cozido, mas ainda com os grãozinhos visíveis, eu temperei e daí foi só comer. Simples, nutritivo e delicioso.

Valeu Lu por ter me ensinado mais esta e agora vai virar tradição no meu ano novo também.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Pannacotta de Countreau e Maple com Bluebarry


Seguindo minhas experiências culinárias, este fim de semana resolvi fazer uma sobremesa que sempre achei lindo quando via no blog de vocês e com uma cara de irresistível e cremoso...a pannacotta.





Não sei porque, mas sempre achei que fosse absurdamente difícil de fazer, porque parecia tão delicado e nunca fui muito boa com doces com consistência de pudim, mas acabei por descobrir que era tão fácil e podemos usar tantas variações diferentes (que já estão povoando minha mente) que comecei a gostar do negócio.

Vi uma receita que usava Martini para fazer a pannacotta, mas eu não tinha esta bebida em casa e acabei substituindo pelo countreau. Confesso que ficou com um sabor de bebida bem forte e poderia ser mais delicado, por esta razão já vou colocar para vocês aqui na receita uma dose reduzida da bebida ok?

A consistência ficou perfeita e usei para a calda um açúcar de Maple que estava guardando para uma ocasião especial, que a Fabricia tinha me mandado (muito obrigada querida, de novo), com Maple Syrup e um resto de bluebarrys que eu tinha por aqui e ficou bem gostoso...tudo muito improvisado mesmo.






Esta receita é metade da original, como sempre, pois senão sobra muita comida por aqui, e rendeu 3 ramequins pequenos.

1 e 3/4 de folha de gelatina incolor
300 ml de creme de leite fresco
55g de açúcar
2 colheres de sopa de countreau (ou 3 colheres de martini)
Maple Syrup e frutas para decorar à vontade.

Coloque a gelatina numa vasilha e cubra com água e deixe por 5 minutos.

Numa panela coloque o açúcar e o creme de leite em fogo baixo, mexendo sempre até o açúcar dissolver (cerca de 3 minutos). Escorra a água da gelatina e esprema bem para retirar o excesso e coloque só a gelatina na panela, sempre mexendo até a gelatina se dissolver por completo (é bem rápido). Desligue o fogo e acrescente a bebida (e eu acrescentei 2 gotinhas de corante laranja).

Despeje tudo nos ramequins e leve para a geladeira até endurecer.

Na hora de servir basta ferver um pouco de água, desligar, e passar o fundo do ramequim na pagua quente. Depois é só desenformar em um prato e decorar com a calda.



A calda eu fiz bem simples. Um caramelo bem ralo com o açúcar de Maple e depois juntei mais Maple Syrup e as bluebarrys e deixer ferver um pouco e coloquei para esfriar.

domingo, 11 de janeiro de 2009

Meu primeiro MAC & CHEESE

Eu sempre tive uma tara diferente das pessoas que apreciam boa comida...por incrível que pareça eu adoro comida requentada...adoro aquela comida que, depois de requentada fica sequinha e com pedaços mais crocantes...principalmente o macarrão, a lasanha, porque o queijo sempre fica crocante e dá um toque especial...por isso quando vi esta receita de Mac & Cheese eu não sosseguei até fazer, porque ela é molhadinha por dentro, mas por cima fica aquela casquinha que eu tanto amo, isso sem contar que só leva ingredientes que eu amo...carboidrato e queijo, tem coisa melhor?

Eu adaptei a receita porque não achei o fiambre por aqui, mas assim mesmo ficou muito bom. E ainda comprei, de quebra, um pote novo que estava paquerando há tempos para poder fazer uma bela apresentação...risos.


Fiz meia receita, pois deu uma porção generosa só para mim, já que marido e filha são chegados em sashimi e comidinhas light (não ensinei muito bem estes dois...haha).

Segue a receita então da meia porção...que dá um prato muito bem servido.

1 xícara de macarrão (usei um especial que tinha vindo na minha cesta de natal em formato de árvore e estrelinhas)
2 colheres de sopa de farinha de trigo sem fermento
1 xícara de leite
queijo ralado à gosto
100 g de queijo fundido (eu usei um Polengui com sabor Gruyere)
30 g de manteiga
salsinha picada
sal e pimenta à gosto

O macarrão deve ser cozido da forma como você está acostumado e escorrido. Enquanto isso, em outra panela, derreta a manteiga e adicione o trigo mexendo bem para não empelotar e tire do fogo. Adicione metade do leite e bata com um fouet, até ficar sem grumos e só então coloque o restante do leite. Volte tudo para o fogo baixo e vá mexendo até o molho começar a engrossar. Acrescente o queijo fundido, o sal e a pimenta e desligue o fogo. Depois coloque um pouco do parmesão ralado e a cebolinha.

Misture o molho ao macarrão e coloque numa vasilha que possa ir ao forno. Polvilhe com mais queijo parmesão por cima e leve ao forno pré-aquecido por uns 30 minutos até começar a dourar por cima.

Depois é só ajoelhar para comer...risos, porque é um espetáculo.

domingo, 4 de janeiro de 2009

Casa da Esfiha de Indaiatuba


Aproveitando minha viagem à Indaiatuba para conhecer o Pão de Açúcar Ecológico eu tratei de usar meu presente de Natal mais um pouquinho (ganhei um GPS do maridão e agora tenho que ir para lugares desconhecidos...risos) e fomos comer num lugar que já havia sido muito comentadoo para mim, que era a Casa da Esfiha.


Primeira impressão não é das melhores, pois o lugar é bem antigo e bem feio por dentro, merece uma reforma URGENTE, mas não posso dizer a mesma coisa da comida, que estava uma delícia. Comemos esfiha de carne fechada e esfiha aberta de zataar e de queijo árabe, que estavam muito bons. Também comemos kafta grelhada.



De sobremesa comi um doce típico que é de macarrão com nozes e mel que estava um espetáculo...valeu a pena.



Quem quiser conhecer fica na Rua Pedro de Toledo, no. 340 - no centro de Indaiatuba.