quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Creme de abacaxi caramelizado da Heloisa Bacellar



Eu já fiz tanta receita da Heloísa Bacellar por aqui que já perdi as contas...tenho os 3 livros dela...amo de paixão cada um deles e vivo querendo fazer as receitas dela de novo. Esta receita é do livro COZINHANDO PARA AMIGOS.
No Natal fiz 2 sobremesas, mas uma já é conhecida e repetida do povo lá de casa e vou postar pra vocês em breve. E a outra é esta.
Ficou chique de doer no meu conjunto de taças novinho em folha e uma delícia de comer. O duro foi ter apetire depois da comilança do Natal.

Ingredientes:
1 xícara de água
2 xícaras de açúcar
1 pedaço de 1 cm de gengibre
1 pedaço médio de canela em pau
2 cravos-da-india
2 favas de baunilha
2 abacaxis médios e maduros
2 xícaras de creme de leite fresco gelado
1 colher de chá de raspas de limão (usei o siciliano)
folhas de hortelã pra decorar



Aqueça a água e o açúcar numa panela média, mexa até dissolver, junte o gengibre, a canela, o cravo, as favas cortadas ao meio no sentido do comprimento e com as sementinhas raspadas, e deixe ferver por uns 20 minutos, até a calda começar a amarelar.
Enquanto isso descasque o abacaxi, retire os olhinhos escuros, corte em cubinhos.
Coloque o abacaxi numa panela, aqueça e deixe em fogo baixo até amaciar e secar, depois passe para uma assadeira grande.
Aqueça o forno a 180 graus, regue o abacaxi com a calda, misture e leve ao forno por 30 minutos, mexendo na metade do tempo para dourar por igual e deixe esfriar.



Com uma escumadeira separe 1/4 do abacaxi e descarte a calda que escorrer, bata no liquidificador até virar uma pasta e reserve.
Bata o creme de leite com a batedeira em ponto de chantilly e em seguida, com uma espátula e muita delicadeza, incorpore o abacaxi e as raspas de limão.
Disponha as taças e encha com o creme e depois decore com o abacaxi restante e com as folhas de hortelã.

ATENÇÃO: CUBRA COM FILME PLÁSTUCO E LEVE PARA A GELADEIRA POR ATÉ 12 HORAS. Depois disso o creme passa a perder volume e soltar líquido. Eu fiz tudo e deixei para incorporar e montar nas taças só umas 2 horas antes de servir.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Torta invertida de tomate


O Natal ficou bem gostoso lá em casa...foi especial. E pela primeira vez, tirando o tender do meu pai, fui eu quem elaborei e fiz todo o cardápio.
Coloquei aqui nas últimas postagens os fios de ovos que acompanharam o tender, e o arroz com champagne e castanhas.

Hoje vou estar colocando algumas fotos especiais que incluem a salada de entrada e também a torta invertida de tomate.



Confesso que tem muita coisa que eu sempre quero fazer e acabo demorando por medo de experimentar coisas novas. E fazer uma coisa que nunca fiz bem na noite de Natal foi arriscado, mas eu queria muito fazer esta torta de tomate e vencer meu medo da massa folhada.

Posso dizer que ela ficou simples e deliciosa e nem deu tanto trabalho como eu imaginava...demora um pouco e tem que ser feita a parte de assar o tomate com alguma antecedência, mas vale o esforço.



Ingredientes:
1 pacote de massa folhada comprada pronta
1,2 Kg de tomate maduro cortado ao meio no sentido vertical
2 dentes de alho fatiados fino
1 colher de sopa de orégano
5 colheres de sopa de azeite
sal e pimenta à gosto
farinha de trigo para polvilhar

Descongele a massa conforma as instruções da embalagem. Olhe o tempo para casar com o tempo que vão demorar os tomates e a hora de servir.
Arrume os tomates em uma fôrma.
Em uma tigela misture o alho, o orégano, o azeite, o sal e a pimenta e regue os tomates.
Leve ao forno baixo (150 graus) preaquecido por duas horas ou até ficarem macios e sem líquido.
Deixe esfriar.
Em uma superficie polvilhada com farinha abra a massa folhada até ficar um pouco maior que a fôrma com os tomates. Enrole a massa aberta no rolo e coloque por cima da forma e vá desenrolando, até cobri todos os tomates. Dobre as vordas para dentro.
Com uma faca faça um orifício de uns 1,5 cm de diâmetro no meio da massa para que o vapor escape.
Leve ao forno moderado (180 graus) preaquecido por cerca de 40 minutos ou até a massa dourar.
Desenforme ainda quente e regue com azeite.

Fios de ovos



Esta é a segunda vez que faço fios de ovos e confesso que estava um pouco temerosa, pois na primeira vez eu fiz junto com uma amiga que me ensinou, há uns anos atrás e depois nunca mais me atrevi, mas para minha surpresa, não tive dificuldade nenhuma e ficou uma delícia para servir com o tender que meu pai fez no Natal.

A lista de ingredientes é bem simples, uma vez que só leva ovos, açúcar e água, mas o preparo é meio trabalhoso sim, mas não é difícil.


São 26 ovos no total para a minha receita.
Você pega 3 inteiros e coloca numa peneira de ferro fina com uma vasilha embaixo e junta as outras 23 gemas dos outros ovos. Nesta primeira peneiragem vai demorar um pouco, porque a gente não pode empurrar com a colher, pois a intenção é desprezar a película da gema que é o que dá aquele cheiro de ovo no doce que não queremos, então damos umas batidas com a peneira para ir descendo o conteúdo e mexemos com um garfo para ir soltando a tal película.

Depois de tudo ter passado pela peneira, daí repetimos este processo mais umas 30 vezes...isso, você não leu errado, são 30 vezes mesmo, mas agora é rápido e serve só para deixar as gemas bem homogêneas e fininhas.

Enquanto faz isso vc coloca umas 800g de açúcar numa panela (e aqui vai outra dica, não use aquelas panelas de aço inox, pois eles são muito grossas e fervem muito e não servem para fazer o fio de ovos, tem que ser aquelas panelas antigas, finas mesmo...eu uso uma que tenho de derreter chocolate em banho maria) e coloca 1 copo e meio de água, mexe tudo para misturar e coloca no fogo e deixa lá sem mexer até ferver.

Quando já tiver fervido por uns 8 minutos está na hora de começar.
Coloque as gemas peneiradas dentro do famoso regador de fazer fio de ovos que vocês vão ver na foto e que se compra em lojas especializadas. Prepare uma vasilha grande ao lado da panela com outra peneira grande para escorrer os fios e uma garrafinha de água gelada. Com a calda fervendo você começa a fazer movimentos circulares despejando o fio dentro da panela e contando 30 voltas mais ou menos. (quanto mais alta a sua mão mais finos serão os fios). Quando contar 30 você joga muito pouco (uma colherzinha de chá) da água fria na panela para baixar a espuma e você enxergar os fios e diminui o fogo (se preciso desligue) e muito rapidamente com uma escumadeira, junte os fios num canto da panela como se fosse um croquete e coloque para escorrer na peneira. Pegue a água fria e jogue um pouco em cima dos fios para lavá-los e parar o cozimento. Repita este processo até acabar as gemas. (Eu devo ter feito isso umas 20 vezes, ou seja, uns 20 bolinhos de fios de ovos.

Assim que acabar, imediatamente comece a abrir os fios de ovos, pois se eles ficam frios demais fica mais difícil de abrir.


Com 2 garfos pegue os bolinhos, uma a um, e numa forma vá jogando ele várias vezes, com delicadeza e eles começam a se abrir no comprimento até ficarem compridos e soltinhos. Faça isso com os 20 bolinhos até que todos estejam esticados e separados, na medida do possível, com os garfos, para não ficar aqueles pelotes de fios grudados. Coloque assim na geladeira por uma hora só para eles gelarem e depois você já pode transferir para uma vasilha menor para usar à gosto.

Neste post eu ensino a fazer um doce de fios de ovos que também é uma delícia dos deuses. Confere lá.



segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Arroz + Champagne + castanhas !!


No Natal a gente fica querendo fazer tudo diferente do resto do ano não é? Se arrumar mais, enfeitar a mesa, usar aquele jogo de jantar que a gente nunca usa, fazer comidas diferentes...até o arroz não pode ser igual ao do ano todo, parece que tira o encanto da ceia...pelo menos pra mim...kkk.
Então resolvi este ano fazer arroz com champangne e castanhas.
A receita é simples de doer, mas o sabor fica bem diferente.

Ingredientes:
3 xícaras de arroz
4 xícaras de champagne
2 xícaras de água quente
tempero à gosto
açafrão à gosto
castanhas à gosto (eu usei pinolis, amendoas descascadas e macadâmias)

O arroz você faz da maneira que está acostumada mesmo, só que vai substituir a água parcialmente pela quantidade de champagne da receita.
As castanhas eu torrei um pouco antes numa frigideira separada e só misturei ao arroz na hora de servi, para ficarem crocantes.

Já que o post é bem simples resolvi explicar pra quem não conhece o que são os pinolis:


Semelhante a uma amêndoa, mas de tamanho bem reduzido, o "pinolo" (singular de "pinoli") possui formato oval e cor bege. É vendido principalmente em pacotes de 20 gramas ou por peso, em lojas de produtos árabes e empórios sofisticados.

É oleoso e de sabor suave, que pode ser ressaltado pela torra. Na Itália, é muito usado em risotos, molhos e bolos, sendo fundamental no molho pesto. É também bastante difundido na Índia e na Turquia.
Na cozinha libanesa, entra em massas, esfirras, legumes de forno, arroz, charutos recheados e sobremesas, como sorvetes, bolos, doces e tortas.

domingo, 25 de dezembro de 2011

Rabanada assada com nozes


Sempre foi uma tradição da minha avó (a responsável pelo nome do blog), fazer rabanadas no Natal para todos os filhos levarem para casa e sempre amei as rabanadas dela. Se eu fechar meus olhos, posso sentir o cheiro, a textura e até o gosto daquela delícia.
Depois que minha avó se foi, todo ano, minha mãe falava das rabanadas dela quando chegava esta época, mas eu não fazia, primeiro porque era muita responsabilidade, tentar fazer para alguém uma coisa que ela gostasse tanto e tinha estas lembranças junto, e segundo porque meus pais já não podem mais comer frituras como antes e a rabanada era bem pesada.
Então este ano resolvi procurar uma receita que fosse mais light e que ao mesmo tempo fosse gostosa, mas não igual a da minha avó, para minha mãe poder curtir de um jeito diferente.


Achei a receita e resolvi fazer o café da manhã natalino aqui em casa pros meus pais, minha filha, namorado e a cumadre...foi especial.

Rabanada assada com nozes:

2 baquetes de pão amanhecido
1/2 xícara de nozes picadas
2 xícaras (chá) de leite
4 ovos
70 g de açúcar
2 colher (café) de canela
2 colher (chá) de essência de baunilha
manteiga


Unte uma assadeira, coloque as fatias de pão e espalhe as nozes picadas por cima.



Bata o leite, os ovos, o açúcar, a canela e a baunilha e verta sobre as fatias de pão, de modo a ficar uniformemente umedecidas, pressionando com uma colher. Coloque pedacinhos de manteiga, cubra com papel-alumínio e pode deixar durante a noite na geladeira.


Preaqueça o forno a 180°. Retire o papel-alumínio e asse por 20 minutos, até começar a dourar. Cubra com o papel-alumínio e asse mais 5-10 minutos até ficar levemente crocante.

Polvilhe uma mistura de açúcar e canela por cima e eu enfeitei tb com algumas frutas secas.

FELIZ NATAL!!!!!!!!!!!!!!!!!!

domingo, 18 de dezembro de 2011

Nuvens de Chocolate & Amigos



Que coisa boa você saber e poder dar para um amigo um presente que foi feito com o coração. Foi assim que eu resolvi, assim como faço sempre que posso, presentear algumas pessoas este ano. Arregacei as mangas, pesquisei muito e achei esta receita da sempre presente neste blog Patricia Scarpin.

E uma receita desta, em época de Natal, e amigas tão especiais, precisam de Clarice...

Com uma amiga chegamos a um tal ponto de simplicidade ou liberdade que às vezes eu telefono e ela responde: não estou com vontade de falar. Então digo até logo e vou fazer outra coisa.

Clarice Lispector


Nuvenzinhas de cacau com gotas de chocolate



Massa:
2 xícaras (280g) de farinha de trigo
¼ xícara + 1 colher (sopa) - 30g - de cacau em pó, sem adição de açúcar
1 colher (chá) de fermento em pó
1/8 colher (chá) de cremor tártaro
1/8 colher (chá) de sal
1 xícara (226g) de manteiga sem sal, derretida e fria
½ xícara (70g) de açúcar de confeiteiro, sem peneirar
2 ½ colheres (chá) de baunilha
¼ xícara + 1 colher (sopa) de farinha de amêndoa (amêndoas moídas)
2/3 xícara (115g) de gotas de chocolate meio amargo


Misturinha de cacau*:
120g de açúcar de confeiteiro
1/2 colher (chá) de cacau em pó


Pré-aqueça o forno a 180ºC; forre duas assadeiras grandes, de beiradas baixas, com papel manteiga (caso as formas sejam finas, sobreponha duas para evitar que a parte inferior dos cookies queime).
Prepare a massa: peneire a farinha, o cacau, o fermento, o cremor tártaro e o sal numa tigela e reserve.
Coloque a manteiga numa tigela grande. Peneire o açúcar de confeiteiro sobre ela e misture com uma colher de pau – não ligue para os gruminhos de açúcar que aparecerão. Acrescente a baunilha e a amêndoa moída, misture, e em seguida junte metade dos ingredientes peneirados e todas as gotinhas de chocolate. Misture bem, junte metade dos ingredientes secos restantes, misture, e então junte todo o restante. A massa ficará firme e fácil de ser trabalhada (não gruda nas mãos).
Faça bolinhas gorduchas com 1 colher (sopa) rasa de massa e coloque-as nas assadeiras preparadas, deixando 5cm de distância entre uma e outra. Leve ao forno por 13-15 minutos. Vai parecer que ainda estão crus, mas depois que esfrian eles ficam crocantes por fora e molhadinhos por dentro.



Deixe-os esfriar nas formas por 1 minuto e então remova com cuidado, usando uma espátula de metal. Deixe esfriar por mais 5-8 minutos.
Prepare a misturinha de cacau: peneire o açúcar de confeiteiro e o cacau numa tigela. Enquanto os cookies ainda estiverem quentes, passe-os pela mistura cuidadosamente, poucos a cada vez, e cubra-os por completo. Transfira para uma folha de papel manteiga e deixe esfriar completamente. Passe-os pela mistura mais uma vez, se desejar – os cookies ficarão mais bonitinhos.
Guarde em recipiente hermeticamente fechado por até 5 dias.




Rend.: 3 dúzias – fiz meia receita e consegui 19

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Vai uma cerveja aí???

Só pra começar a fase degustação também de dezembro de 2011...risos
Estas são uma delícia!!!

domingo, 4 de dezembro de 2011

Chocolate Killer e a Temporada de Natal



Toda vez que começa o mês de dezembro eu começo a ficar doida pra fazer comidas diferentes, primeiro pra poder experimentar novas receitas que podem ser da Ceia de Natal e depois para poder tirar fotos temáticas pro blog - tarefa nada fácil pra mim que tenho que tirar 50 fotos pra gostar de duas...risos.

Esta sobremesa é do meu livro DEZ X 10 - da Carla Pernambuco, que só tem receitas de arrasar e eu gosto muito.
A receita é perfeita, saborosa demais e razoavelmente fácil de fazer. Só tive alguma dificuldade com o tempo de forno, pois a receita manda ficar 30 minutos em forno a 130 graus. Como meu forno tem tenperatura mínima de 180 graus eu fiquei de olho pra não passar do tempo, mas quando deu 30 minutos ainda estava cru, como se eu tivesse acabado de colocar lá...então acabou ficando no meu forno por 1 hora e 15 minutos.
Eu dividi a receita em formas bem pequenas, então imagino que se vc fizer a receita toda um uma forma grande deve ficar mais tempo ainda.



Ingredientes:
340g de chocolate meio amargo picado (olhar se não tem glúten para versão pra celíacos)
5 ovos
290g de açúcar
225g de manteiga amolecida
125ml de água
Cacau em pó para polvilhar

Bata os ovos com 1/3 do açúcar até quadruplicar de volume (cerca de 10 minutos).
Aqueça o açúcar restante numa panela com a água até obter um xarope.
Coloque a manteiga e o chocolate no xarope quente e misture para derreter.
Tire do fogo e deixe amornar.
Depois que estiver morno diminua a velocidade da batadeira para o mínimo e acrescente a mistura de chocolate até combinar. Termine de misturar na mão.
Unte forminhas individuais com manteiga e forre-as com papel manteiga. Divida a massa entre elas.
Asse em banho-maria, com forno pré-aquecido  (no meu caso a 180 graus por cerca de 1 horas e 15 minutos).
Deixe esfriar para desenformar e retire o papel manteiga.
Polvilhe com chocolate para servir.

A torta fica com uma casquinha crocante em cima que ao desenformar vai pra parte de baixo e ela fica bem molhada no meio. E DIVINA, E GOSTOSA E CHIQUE...RISOS

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Sorvete Philadelphia de Amora e Limão Siciliano



Minha irmã está no Brasil, e quando isso acontece tenho mais vontade ainda de cozinhar, porque fico querendo fazer um monte de coisas pra eles...paparicar mesmo, pena que o tempo é tão curto.

Daí depois de comer aqui em casa hoje com todo mundo, pergunto:
Quem quer sorvete??? E a pergunta vem seguida de uma cara mais linda, com os olhos arregalados, sorriso nos lábios e um berro "EU QUER"...risos.
Não tem dinheiro que pague né?


Este estilo de sorvete Philadelphia é muito legal por várias razões:
 - primeiro que quem não tem sorveteira pode fazer ele em casa sem nenhum problema e a consistência fica deliciosa;
 - segundo que você pode usar a fruta (pra fazer geléia) ou a geléia que tiver sobrando em casa para reaproveitar alguma que estiver ficando velha;
- terceiro que não dá trabalho nenhum.

Em outras experiências eu já peguei restos de frutas aqui em casa e fiz uma geléia com a fruta pra depois fazer o sorvete.

Desta vez eu tinha um vidro de geléia de amora que estava há um bom tempo na despensa...e para esta receita achei que estava muito encorpada. Então só coloquei na panela com o suco e as raspas de um limão siciliano e esquentei um pouco para ela ficar um pouco maos diluída.

Ingredientes:
320 g de geléia de amora
250 ml de creme de leite fresco
açúcar a gosto

Eu bati o creme de leite com 2 colheres de sobremesa de açúcar até ficar como chantilly, mas não tão espesso. Daí incorporei a geléia já fria nesta mistura, tomando cuidado para não misturar demais, pois o bom desta versão é sentir a geléia e ver o contraste das cores do chantilly com a geléia.
Depois é só colocar num pote bem fechado (eu prefiro os de plástico) e levar ao freezer. Fica muito cremoso e aqui pra casa é a quantidade exata de sorvete, pois é uma receita não muito grande.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Fruta da época parte 1 - Manga - PÃO DE MANGA



Eu adoro projetos...quem frequenta o blog há um tempão sabe que já fiz várias competições por aqui com receitas das mais diversas e também fizemos uma semana com receitas de reaproveitamento integral dos alimentos que foi um sucesso e é muito acessada até hoje (basta procurar no mecanismo de busca do google aqui do ladinho).

Eu sempre achei legal usar as frutas, legumes e verduras que estão na safra, pois são mais saborosas, mais bonitas, mais baratas e mais fáceis de encontrar. Por isso começo este mês este projeto, de trazer para o blog sempre que possível, receitas com o que tem de mais fresco na estação.
Pesquisei neste site aqui e achei bem completinho.

Tem muita coisa legal nesta época, mas me apaixonei por esta receita que vi neste blog e resolvi fazer a que mais me chamou atenção com a fruta escolhida.

A fruta da vez é a MANGA, que está na safra em novembro e dezembro. E para quem não sabe ela possui grandes quantidades de ferro é altamente indicada para tratamentos de anemia.

Esta receita está entre um pão e um bolo...poderia dizer que são as duas coisas.

Ingredientes:
2 xic de trigo

1 colher de sopa de fermento em pó
1/2 teascolher de chá de sal
3/4 xic de açúcar de balnilha
1 xícara de iogurte de coco
1/2 xic óleo
2 mangas cortadas em cubinhos

Pré-aqueça o forno. Em um recipiente junte todos os ingredientes secos e depois faça um buraco no meio e junte os líquidos.
Mexa todos os ingredientes com uma espátula até formar uma massa uniforme e por fim incorpore as mangas cortadas em cubos.

No meu caso a receita deu 3 formas de papel pequenas em formato de pão.

Assar até ficar dourada ou até fazer o teste do palito e ele sair limpinho.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Bolo de Leite Condensado para detonar a dieta!!!



Tá gente...fazer dieta pra quem gosta de cozinhar e comer como eu já é um martírio. Quando se está vivendo momentos de estresse então...forget it.
Eu como bonitinho vários dias...me alimento bem, não como carne...daí vem uma TPM, ou um problema no trabalho, ou apenas um tédio no fim do dia (como no caso de hoje) e lá se vai minha força de vontade.
Também tem outro probleminha...o blog ficou abandonado um tempão porque eu não estava tendo vontade de cozinhar nada nos últimos tempos...e agora que a vontade voltou vou reprimir? De jeito nenhum.

Tá bom...acho que 2 parágrafos de justificativas já estão bons para todos entenderem que apelei pra um bolo quente daqueles...risos.
Isso mesmo, quem me conhece sabe que eu adoro bolo quente, daquele que acabou de sair do forno e mal deu pra desenformar ainda. Com um café então...ai ai ai.

Mas não tenho quase nada na minha despensa...ela está um fim de mundo...será que vai dar?
Fuça uma receita aqui, outra ali...e táva com muita saudade de fazer uma receitinha da Paty, então achei esta que era perfeita. Não precisei de batedeira e nem de muitos ingredientes e o bolo é um espetáculoooooo.

Bolo de leite condensado

do livro Claudia Cozinha


1 lata (395g) de leite condensado
4 ovos
1 xícara (120g) de farinha de trigo
½ colher (sopa) de fermento em pó
¼ xícara (50g) de manteiga sem sal, derretida e fria
açúcar de confeiteiro, para polvilhar




Pré-aqueça o forno a 180ºC. Unte uma forma de furo central de 22cm* de diâmetro com manteiga.
Junte todos os ingredientes numa tigela grande e misture bem. Despeje a massa na forma preparada e leve ao forno por cerca de 20 minutos, até que cresça e asse por dentro – faça o teste do palito (o meu bolo demorou 35 minutos para ficar pronto).
Retire do forno e coloque a assadeira numa gradinha. Deixe o bolo esfriar completamente antes de desenformar.
Polvilhe com açúcar de confeiteiro.

E aproveitei pra usar minhas mini-forminhas de bolo que trouxe da última viagem da Disney...fiz mini-bolinhos que ficaram lindos demais. Já que é mini, um eu já comi todinho numa experimentada só. Jesus!!!!

domingo, 30 de outubro de 2011

De novo o Oliver...repeteco



Sei que quem gosta de cozinhar vive querendo fazer receitas novas e comidinhas diferentes. Mas de vez em quando...ou de vez em sempre...a gente se apaixona por algumas receitas que a gente vive repetindo para matar a vontade.

Esta é uma delas. Massa com Camembert assado que eu já fiz aqui e fiquei com desejo de comer de novo dia destes.



A galera não deixa sobrar nada na vasilha quando a gente faz massa por aqui...é questão de paixão mesmo.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

O pão de queijo eterno


Esta é uma receita de pão de queijo basiquissima que já vi em vários sites por aí e que o povo daqui de casa ama.
Mas eu sempre faço alterações...por exemplo no lugar de uma xícara de óleo, eu uso azeite...que fica com um sabor delicioso.
Além disso sempre coloco alguma coisa diferente...mas desta vez foi o básico que não tem erro mesmo.

Ingredientes:
1 copo americano de azeite
1 copo americano de leite
1 copo americano de água
1 pacote de polvilho azedo
3 pacotinhos de queijo ralado de boa qualidade (eu uso o Faixa Azul Light)
sal
2 ovos grandes ou 3 pequenos

Preparo:
ferver a água, o azeite e o leite
Numa vasilha colocar o polvilho e o queijo com o sal e misturar tudo.
Jogar o liquido quente no centro do polvilho e misturar tudo até esfriar para conseguir misturar com a mão.
Adicionar os ovos um a um e assar em forno pré-aquecido bem fraquinho.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Sopa de brócolis



Era uma vez uma pessoa que só tomava sopa de feijão quando era criança, e pra falar a verdade achava sopa uma coisa bem sem graça. Porque uma criança (com exceção da que eu tenho em casa que cresceu tomando sopa e AMA) gostaria de tomar sopa ao invés de comer bife e batata frita. NUNCA!!!!!

Mas esta criança cresceu assim....sem gostar de sopa...e cresceu mais um pouco....e se interessou pela culinária, mas mesmo assim fazia doces, biscoitos, bolos maravilhosos...que sopa que nada.

Esta adulta foi pra Disney e entrou num restaurante num dia muito frio onde só se serviam sanduíches (que aliás são os melhores de lá, pois não são hamburguer e eu amo), mas naquele dia devido ao frio extremo fora de época havia uma promoção.
Vc comprava o sanduiche e ganhava uma sopa de tomate.

Eu que sou absolutamente contra desperdicio de comida de qualquer natureza e que jamais iria jogar aquela sopa fora sem nem experimentar, resolvi dar uma chance.
AMOR A PRIMEIRA COLHERADA...isso mesmo...passei meses, depois da minha volta pro Brasil tentando fazer várias sopas de tomate...Já comi muitas bem gostosas, mas ainda não achei "aquela" receita...mas tenho fé.

Com todo este acontecimento, perdi o preconceito com a sopa e comecei a experimentar de tudo que me dava vontade:
mandioquinha (amei)
cebola (delicia)
ervilha (uhuuu)

e um belo dia, num hotel, tomei a danada sopa de brócolis...afe...nunca imaginei que poderia ser tão boa.
Pois eu gostei tanto da história da sopa que comprei um livro de receitas só de sopas e foi de lá que tirei esta.
E quando fiz não é que ficou IGUALZINHA a do hotel...

Venci esta...agora só falta a de tomate...mas neste livro tem uma que faço em breve.

Esta sopa pra ficar gostosa tem que ter um caldo de legumes original de fábrica...bem feito...nada de Knorr hein

Meu caldo de legumes:
125 g de alho poró picado
2 talos de de erva doce picado
1 tomate cortado em 4 partes
1 batata cortada em rodelas grandes
1 cenoura grande cortada em rodelas finas
1 cebola picada grosseiramente

Colocar tudo numa panela com 1 litro e meio de água e deixar ferver. Diminua o fogo, tampe e deixe cozinhar por 30 minutos
Coe o caldo numa peneira fina, espremendo os legumes para tirar todo o caldo e deixe esfriar em geladeira por até 3 dias antes de usar ou congele se for usar em outra ocasião.

A SOPA
675 g de brócolis
3 colheres de sopa de manteiga
2 talos de erva-doce picados bem pequeno
125 g de alho-poró picado (descartei só a parte bem verde de cima)
4 colheres de sopa de farinha de trigo
o caldo de legumes e 125 ml de creme de leite fresco.

Cozinhe os brócolis na água com uma colher de sobremesa de bicarbonato para manter a coloração verde (não deixe cozinhar demais, só até começar a amolecer)
Numa panela derreta a menteiga e coloque o alho-poró e a erva-doce para cozinhar até ficarem molinhas (cerca de 5 minutos).
Junte o trigo e mexa bem para dissolver e vá adicionando aos poucos o caldo de legumes, mexendo com um fouet para dissolver bem o trigo e engrossar o caldo e deixe em fogo médio até ferver bem.
Baixe o fogo e junte todo o brócolis já cozido e picado e deixe por cerca de 15 minutos tampado.
Pegue tudo e bata a mistura no liquidificador. Deve ficar bem areada e não muito rala.
Volte tudo para a panela, tempere com sal e pimenta a gosto e misture o creme de leite e reaqueça até servir.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Mais um!!!



Eu nunca me canso dos meus Tiramissus (se é que posso usar esta palavra no plural aqui...risos)
Então como aqui em Guará achar queijo mascarpone é quase como sofrer um terremoto (exageros a parte), quando a gente acha precisa aproveitar...

Desta vez resolvi caprichar e ao invés de fazer num pote grande, resolvi fazer porções individuais. Ficou lindo e como sempre, sabor diferente para poucos paladares eu acho.

A receita eu já postei aqui antes...é só dar uma olhadinha

domingo, 21 de agosto de 2011

O que significa a expressão "no frigir dos ovos"?

"Quando comecei, pensava que escrever sobre comida seria sopa no mel, mamão com açúcar. Só que depois de um certo tempo dá crepe, você percebe que comeu gato por lebre e acaba ficando com uma batata quente nas mãos. Como rapadura é doce, mas não é mole, nem sempre você tem idéias e pra descascar esse abacaxi só metendo a mão na massa.

E não adianta chorar as pitangas ou, simplesmente, mandar tudo às favas. Já que é pelo estômago que se conquista o leitor, o negócio é ir comendo o mingau pelas beiradas, cozinhando em banho-maria, porque é de grão em grão que a galinha enche o papo.

Contudo é preciso tomar cuidado para não azedar, passar do ponto, encher linguiça demais. Além disso, deve-se ter consciência de que é necessário comer o pão que o diabo amassou para vender o seu peixe. Afinal não se faz uma boa omelete sem antes quebrar os ovos.

Há quem pense que escrever é como tirar doce da boca de criança e vai com muita sede ao pote Mas, como o apressado come cru, essa gente acaba falando muita abobrinha, são escritores de meia tigela, trocam alhos por bugalhos e confundem Carolina de Sá Leitão com caçarolinha de assar leitão.

Há, também, aqueles que são arroz de festa, com a faca e o queijo nas mãos, eles se perdem em devaneios (piram na batatinha, viajam na maionese etc.). Achando que beleza não põe mesa, pisam no tomate, enfiam o pé na jaca, e no fim quem paga o pato é o leitor que sai com cara de quem comeu e não gostou.

O importante é não cuspir no prato em que se come, pois quem lê não é tudo farinha do mesmo saco. Diversificar é a melhor receita para engrossar o caldo e oferecer um texto de se comer com os olhos, literalmente.

Por outro lado, se você tiver os olhos maiores que a barriga o negócio desanda e vira um verdadeiro angu de caroço. Aí, não adianta chorar sobre o leite derramado porque ninguém vai colocar uma azeitona na sua empadinha, não. O pepino é só seu, e o máximo que você vai ganhar é uma banana, afinal pimenta nos olhos dos outros é refresco...

A carne é fraca, eu sei. Às vezes dá vontade de largar tudo e ir plantar batatas. Mas quem não arrisca não petisca, e depois, quando se junta a fome com a vontade de comer, as coisas mudam da água pro vinho.

Se embananar, de vez em quando, é normal, o importante é não desistir mesmo quando o caldo entornar. Puxe a brasa pra sua sardinha, que no frigir dos ovos a conversa chega na cozinha e fica de se comer rezando. Daí, com água na boca, é só saborear, porque o que não mata engorda."

Autor desconhecido.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Pirenópolis - olhares - parte 4 - esta é de comida....

Em Pirenópolis fiquei hospedada na casa dos meus tios...eles possuem um local "sagrado" lá chamado Fazenda Vagafogo...é uma reserva maravilhosa aberta a visitação, onde se pode fazers esportes de aventura, caminhar em trilhas, tomar banho em piscina natural, mas principalmente COMER BEM...
Lá existe um Centro de Visitantes onde se serve o melhor brunch que já comi na vida...com 45 itens...todos produzidos na cozinha deles e com produtos da Fazenda e feitos pelas maravilhosas mãos do meu primo Uirá e do Maninho.

Seguem algumas fotos deliciosas, para vcs comprarem as passagens agora e irem lá comer...risos.

Tacho de geléia de goiaba

Cookies indo pro forno...táva cheirando a cozinha toda...

Alguns itens do brunch...geléias e chutneys inimagináveis

Tampas das geléias que eles vendem lá secando depois de esterilizar

Para o molho da pizzada que fizemos pra galera...hummm

orgulhosíssima da minha massa de pizza


terça-feira, 26 de julho de 2011

Pirenópolis - olhares - parte 3

Estas são fotos de um lugar maravilhoso de lá conhecido como Cachoeira do Abade. Paisagens lindas, boa conversa, bom atendimento e um lanche delicioso.








sábado, 23 de julho de 2011

Pirenópolis - olhares - parte 2

Segue aqui a continuação dos olhares...ainda na casa do meu tio...









sexta-feira, 22 de julho de 2011

Pirenópolis - olhares - parte 1

Fui passar uma semana de férias na paz e tranquilidade de Piri - como é carinhosamente chamada a cidade de Pirenópolis - Goiás.

Descanso, natureza, muita comida boa e boa gente...e este é um olhar de lá...a primeira parte só...fotos tiradas na casa dos meus tios, onde fui MARAVILHOSAMENTE  recebida.







terça-feira, 19 de julho de 2011

Máfia Japonesa


Era uma vez duas pessoas que pareciam não ter nada em comum...até o dia que se encontram por acaso num curso e depois de uma conversa rápida descobrem que ambos são apaixonados pela arte de cozinhar.

Ela, cozinha só por lazer e tem um blog...ele tem uma família que começou há alguns anos atrás a se dedicar à arte de fazer bolos e viu um negócio pequeno se tranformar no negócio da família.

Ele se formou, resolveu literalmente colocar a mão na massa (de bolo...risos) e foi pra cozinha da mãe ajudar aquela empresa a crescer, tomar corpo, criar logo, fazer propaganda e quem sabe um dia chegar a realizar um sonho de ter uma loja.

Esta é a história do meu encontro com o Guilherme e toda a família dele. que eu amo de paixão, que fazem parte de momentos importantes da minha vida e que, apesar de terem um "negócio", souberam continuar a fazer isso com amor...e isso não tem preço.
Somos a máfia japonesa...com muito orgulho hein Gui...

Então você me pergunta...você está fazendo propaganda no seu blog? Eu nunca fiz isso, mas para eles faço porque sei da dedicação de cada um deles.

Gui, pode me corrigir se errei em algo tá? risos



Se você morar em São Paulo e quiser experimentar, liga pra eles...e me conta depois tá?

terça-feira, 5 de julho de 2011

Mais uma do Curtis Stone - potinhos de chocolate



Como este fim de semana a inspiração era meu livro novo do Curtis Stone, como disse no post anterior, a sobremesa não poderia deixar de ser dele...e nem de ser de chocolate certo?

Sendo assim, fiz estes potinhos de chocolate, que além de deliciosos, são bem fáceis de fazer. Acho que foi uma das primeiras receitas que vi ele fazer no programa dele (Chef à Domicílio) e que me fez parar e prestar atenção pela simplicidade.



Ingredientes:
1 e 1/2 xícara de creme de leite fresco
1 xícara de leite integral
1 xícara de açúcar
220 g de chocolate 70% cacau (eu usei um da Lindt que é 85% Cacau e ficou perfeito - não muito doce)
6 gemas
1 colher de chá de essência de baunilha (eu usei uma fava de baunilha inteira que eu estava guardando pra uma ocasião destas...risos)

Preparo.
Numa panela coloque o creme de leite, o leite, o açúvar e a baunilha e ligue o fogo baixo.
Quando levantar fervura coloque o chocolate e vá mexendo até derreter tudo.
Desligue o fogo
Numa vasilha bata as 5 gemas com um fouet até estarem bem branquinhas e vá despejando a mistura de chocolate em fio e batendo até ter uma mistura homogênea.
Coloque esta mistura nos ramequins (deram 8 ramequins a minha receita) e leva ao banho-maria já pré-aquecido por cerca de 1 hora, ou até que só o meio do potinho esteja meio mole, pois ele acaba de endurecer na geladeira depois.

Fácil né? Depois disso é só arregaçar as mangas...e já estou pensando nas adaptações que farei da próxima vez...com café, caramelo, afffffff